Marcelo Lima
Marcelo Lima

Bexiga festeja retorno da Vai-Vai, maior campeã do Carnaval de São Paulo

Com um desempenho sem erros, a escola da Bela Vista ganhou notas 10 em todos os quesitos, desfilando o enredo "Vai-Vai de corpo e Álamo"

Marcelo Lima, O Estado de S.Paulo

26 de fevereiro de 2020 | 00h23

“Estou com o coração saindo pela boca!”, "Até agora não acredito!” e ”Hoje não tem hora para terminar..." foram algumas das expressões ouvidas entre os muitos afiliados  e torcedores da Vai-Vai que afluíram em peso à quadra da escola paulistana, no Bexiga, logo após o anúncio da conquista do primeiro lugar no Grupo de Acesso das escolas de sambas paulistanas.

A quadra da escola em si, permanecia praticamente vazia. A festa mesmo se dava do lado de fora: frente ao palco da agremiação, na confluência das Ruas São Vicente e Cardeal Leme, no coração da Bela Vista, onde uma multidão, eufórica, comemorava o campeonato recém-conquistado, após um rebaixamento, inédito.

Com um desempenho sem erros, a escola da Bela Vista ganhou notas 10 em todos os quesitos, desfilando o enredo "Vai-Vai de corpo e Álamo", que rememorava a história da agremiação. Ao lado da Vai-Vai, com a mesma pontuação, a Acadêmicos do Tucuruvi também ascendeu ao Grupo Especial. A escola, no entanto, ficou com o segundo lugar pelo critério de desempate.

“Estou em extâse”, declarou um dos dirigentes da escola, Clarício Gonçalves. “Este campeonato tem sabor de dupla vitória. Conseguimos ultrapassar uma fase financeira muito difícil e fomos além. Sinto que estamos de volta ao nosso lugar ”, afirmou ele que, dos 90 anos da agremiação, participou de 46. “Estou na Vai-Vai desde que me conheço por gente”.

Foi inclusive toda essa tradição, no entender do carnavalesco responsável pelo desfile deste ano, Chico Spinoza, um dos pilares sobre o qual se assentou o sucesso da Vai-Vai na avenida. “Deixei bem claro para todos: temos de contar todo nosso passado. E, pelo visto, deu certo”, afirmou ele.

Igualmente efusiva, a passista Elaine Cerqueira disse não ter hora para voltar para casa hoje. “Já fiz de tudo na Vai-vai, já fui baiana, destaque, passista. Nunca vi uma retomada igual a esta. Caímos, mas estamos de volta com tudo. É hora de comemorar. E muito”, resumiu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.