Belga desiste de vender waffle na rua e abre loja fixa

Apaixonado por uma brasileira, o belga Jochen Stevens, de 31 anos, decidiu morar no Brasil. Mudou-se em 2009 e, para sobreviver, além de dar aulas de inglês, teve a ideia de vender um produto com a cara da Bélgica. Como cerveja e chocolate já eram facilmente encontrados por aqui, Stevens resolveu enveredar pelo caminho do waffle, a famosa bolacha crocante belga.

O Estado de S.Paulo

13 de maio de 2012 | 03h03

Investiu pouco mais de R$ 20 mil em equipamentos e uma Kombi. Chegou a contratar um contador para ficar em dia com a papelada, mas descobriu que o comércio de comida de rua é irregular em São Paulo. Pego pela fiscalização, perdeu o carro e toda a mercadoria. Teve de começar do zero. Vendeu parte da estrutura e abriu uma loja na Vila Madalena, zona oeste. "Eu gostava da liberdade de parar em qualquer esquina e não pagar impostos. Mas aqui, pelo menos, estou legal. Fico tranquilo."/A.F.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.