Belchior deve R$ 70 mil em estacionamento

Mesmo cantando que tinha "medo de avião", o cantor Belchior embarcou em um e foi embora. Em agosto de 2008, no estacionamento do Aeroporto de Congonhas, na zona sul de São Paulo, deixou para trás um Sonata branco quatro portas, que está lá até hoje. Se Belchior quisesse voltar para buscar seu carro, teria de pagar o ticket de estacionamento mais caro da cidade: a dívida com a administradora SAO Parking já passa dos R$ 70 mil.

/ NATALY COSTA, O Estado de S.Paulo

15 Dezembro 2011 | 03h01

Belchior teria sumido do País em meados de 2008, mas apenas no ano seguinte a imprensa começou a dar pela falta do cantor e passou a procurá-lo. Família, amigos, ex-empresários e advogados não forneciam informações sobre o paradeiro do cantor. O Sonata branco do Aeroporto de Congonhas - que foi depois removido para uma vaga ao ar livre - não foi o único veículo abandonado. Belchior deixou também um Mercedes em um estacionamento próximo do apartamento que alugava em São Paulo.

Em agosto de 2009, uma reportagem da TV Globo encontrou o cantor morando com a mulher em San Gregorio de Palanco, vila de 2,5 mil habitantes no Uruguai. Ele não aceitou falar sobre as dívidas que deixou no Brasil e afirmou que estava traduzindo sua obra para o espanhol. Prometeu lançar um disco de inéditas, o que ainda não aconteceu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.