Sérgio Castro/Estadão
Sérgio Castro/Estadão

Beira-mar vira ciclovia em praia de Bertioga

Frequentadores da Riviera de São Lourenço aproveitam que local tem areia mais dura para pedalar; há adeptos de todas as idades

Paula Felix, O Estado de S. Paulo

03 Janeiro 2015 | 03h00

As bicicletas invadiram a beira-mar da Riviera de São Lourenço, em Bertioga, no litoral paulista. Crianças, casais, famílias e idosos aproveitaram a tarde de sol nesta sexta-feira, 2, para pedalar próximo ao mar e percorrer longos trechos na praia.

Frequentador do local há três anos, o engenheiro civil Airton Garcia, de 52 anos, diz que notou um aumento do número de ciclistas na praia neste verão. “A bicicleta está crescendo muito e o pessoal está respeitando tanto o ciclista quanto o pedestre. Viemos no fim do ano passado e não havia tantas.” Garcia diz que tem se tornado um hábito passear de bicicleta durante a manhã e, depois, ir direto para a praia, onde dá mais pedaladas.

Moda da capital. O arquiteto Alcides Porcaro, de 59 anos, mora na capital e também percebeu o crescimento das bikes. “Tenho casa aqui há 20 anos e, antigamente, as pessoas nem corriam. Acho que isso veio com a onda da bicicleta em São Paulo. Tem bem mais gente (andando de bikes) do que no ano passado”, diz ele, que estava passeando em uma “magrela”. 

Em um período de uma hora, ao menos 20 ciclistas circularam pela praia. O fato de o terreno ser apropriado para pedalar foi o ponto positivo apontado pela intérprete de conferência Patrizia Coppola, de 50 anos. “O bom é que a areia é dura e aqui é plano.”

Com um isopor equilibrado na bicicleta, o estudante Jeremias Floriano de Freitas, de 17 anos, aproximou-se da mesa onde estava com os primos. Foi a primeira vez que ele levou o meio de transporte para o local. “Trouxe para conhecer mais a praia, o espaço. Fui até bem longe. Vou trazer de novo das próximas vezes em que vier.”

Em Ilhabela, no litoral norte, há previsão de abertura de um ciclovia na orla ainda neste mês. Ela fará a ligação entre a balsa, na Barra Velha, e o Perequê. A via exclusiva para bicicletas será uma passarela de madeira estaiada e ficará visível já na chegada ao local. 

Volta. O operador de britagem José Sebastião da Silva, de 30 anos, aproveitava o dia de sol atento ao horário de retornar para casa. “Viemos e vamos voltar hoje (sábado). Não quero saber de trânsito para não me estressar”, diz Silva, que mora em Suzano.

A publicitária Sandra de Mambre Lisboa, de 34 anos, também não quis deixar a volta para o fim de semana. “Chegamos dia 30 e pensamos em voltar hoje (sábado). Não aguento ficar muito tempo sentada”, conta Sandra, grávida de sete meses.

Mais conteúdo sobre:
Bertioga Ciclovias São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.