Bebê morre em escola infantil de Ourinhos-SP

A Polícia Civil registrou a ocorrência como 'morte suspeita'; funcionária disse que foi mal súbito

José Maria Tomazela, de O Estado de S. Paulo,

28 de julho de 2008 | 20h44

Uma criança de um ano morreu nesta segunda-feira, 28, depois de passar mal numa escola infantil particular de Ourinhos, no sudoeste de São Paulo, a 330 km de São Paulo. A menina N. A. T., que fez um ano no dia 25 de maio, chegou a ser socorrida pelos responsáveis pela creche, mas morreu quando chegou ao pronto-socorro da Santa Casa. A Polícia Civil registrou a ocorrência como "morte suspeita".   De acordo com a Polícia Militar, que foi comunicada do fato às 14h15, os funcionários do Centro Educacional Alicerce, uma escola infantil que funciona também como creche, informaram que a criança tinha sido alimentada quando começou a passar mal. Um das dirigentes da creche saiu com ela para o hospital, mas ao passar pelo Corpo de Bombeiros, parou para que a criança fosse atendida pela equipe de emergência.   Os paramédicos constataram que o bebê estava com para respiratória e tentaram reanimá-la. Como a menina não reagiu, levaram ao pronto-socorro. A médica que a atendeu nada pôde fazer. O pai da criança, Fernando, quer que as circunstâncias da morte sejam esclarecidas. A causa do óbito vai ser investigada pelo 1º Distrito Policial.   Uma funcionária do Centro Educacional Alicerce disse informalmente à Polícia Civil que a criança teve um mal súbito. Segundo ela, a criança foi levada para a escolinha de manhã e se alimentou normalmente durante o dia, ingerindo um pedaço de bolo e papinha de frutas. Ela ainda brincou e tomou mamadeira. Por volta das 11 horas, ela dormiu. A filha da proprietária da escola, que trabalha com as crianças, percebeu que a menina estava com os lábios roxos. Ela pegou a menina no colo e levou ao Corpo de Bombeiros, que é próximo da escola. Sem conseguir reanimar Natália, os policiais a levaram à Santa Casa, onde foi constatado a morte.

Tudo o que sabemos sobre:
sorocaba

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.