Pedro Teixeira/Agência O Globo
Pedro Teixeira/Agência O Globo

Bebê é atropelado e morto em calçada

Veículo que atingiu criança e a mãe na zona norte do Rio era dirigido por policial e teria sido arremessado por outro carro

Fábio Grellet / RIO, O Estado de S.Paulo

16 de setembro de 2011 | 00h00

Rodrigo de Oliveira, de 1 ano e 8 meses, morreu atropelado por um carro que invadiu a calçada e atingiu o carrinho onde ele estava, no Méier (zona norte do Rio), às 19h de anteontem. Renata Cibele, de 38 anos, havia pego o filho na creche pouco antes. O carro era dirigido por uma policial civil. Renata sofreu fratura exposta na perna esquerda, foi submetida a cirurgia e está internada no Hospital Municipal Salgado Filho, também no Méier.

Segundo a Secretaria Municipal da Saúde, Renata não corre risco de morte. Ela só foi informada sobre a morte do filho ontem de manhã, quando estava acompanhada pelo marido e por psicólogos da unidade de saúde.

O bebê chegou a ser socorrido, mas sua morte foi constatada meia hora após chegar ao hospital. Ele foi enterrado ontem à tarde no Cemitério do Irajá (zona norte), sob intensa comoção de aproximadamente 200 pessoas. O pai do bebê, um empresário, não quis se manifestar.

O carro que atropelou a criança e a mãe, um Fiesta, era conduzido pela policial civil Edna Nascimento. Ela afirmou à polícia que seu carro foi atingido na traseira por outro Fiesta e lançado em direção à calçada. O motorista desse outro veículo é um professor que foi à delegacia logo após o acidente. Segundo testemunhas, ele estava em alta velocidade e teria batido ao tentar desviar de um terceiro carro.

Ontem, o advogado do professor esteve na delegacia e afirmou que o cliente está muito abalado, sob efeito de sedativos, e vai prestar depoimento assim que melhorar. A oitiva deve ocorrer no início da próxima semana. A mãe do bebê também será ouvida, assim que deixar o hospital.

Versão. Ontem, prestaram depoimento a policial civil e duas testemunhas que relataram a mesma versão. Policiais checaram prédios nas imediações do local do acidente para tentar encontrar câmeras que tenham registrado o acidente.

Se encontradas, as imagens do episódio poderão esclarecer qual foi a participação de cada um dos envolvidos no caso. Segundo a polícia, os dois motoristas podem ser acusados de homicídio. Conforme a situação que a perícia indicar, as acusações poderão ser de homicídio doloso (intencional) ou culposo (sem intenção).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.