Bebê com anencefalia completa 8 meses e já tem seu CPF

Marcela de Jesus Ferreira chega a ficar quatro horas por dia sem capacete de oxigênio'

20 de julho de 2007 | 16h14

A bebê anencéfala (sem cérebro) Marcela de Jesus Ferreira completou nesta sexta-feira, dia 20, oito meses de vida, em Patrocínio Paulista, na região de Ribeirão Preto. "Agradeço muito a Deus por ela estar viva", diz a mãe Cacilda Galante Ferreira, de 36 anos, que tem dedicação total à filha desde o nascimento, em novembro de 2006.  Mãe e filha moram na casa da família, no bairro Marumbé, a um quilômetro da Santa Casa local, para eventuais emergências, enquanto Dionísio, o pai da bebê, e duas filhas continuam residindo no sítio, a 18 quilômetros da cidade.  Marcela pesa cerca de 7 quilos e chega a ficar até quatro horas num dia sem o uso do capacete de oxigênio - seguidamente, no máximo duas horas. A pequena Marcela já tem o seu Cadastro de Pessoa Física (CPF) e a mãe diz que é possível que ela receba benefícios do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS). Segundo Cacilda, Marcela tem chorado e gritado muito ultimamente, pois estaria agitada com o nascimento dos primeiros dentes. A menina senta no sofá e na cadeira também. A alimentação continua sendo leite (120 ml a cada três horas), suco de frutas (duas vezes ao dia) e 25 ml de papinha (ontem (20) foi de caldo de feijão com batata e abóbora).  Desde quando saiu da Santa Casa, Marcela retornou apenas uma vez por problemas de saúde: com cólicas. As outras vezes foram apenas para ser pesada, como deverá ocorrer no começo da próxima semana. A pediatra Márcia Beani Barcellos a visita semanalmente, assim como a equipe do Programa de Saúde da Família (PSF).

Mais conteúdo sobre:
Bebe anencefálico

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.