Bêbado e na contramão, motorista mata pai e filho no interior

Cabral Filho dirigia em uma rodovia de Bauru quando bateu de frente com o carro em que estavam Luciano e Guilherme Reis

Chico Siqueira, Especial para O Estado

29 Setembro 2014 | 16h57

Um motorista alcoolizado, dirigindo na contramão, causou um acidente que provocou a morte de pai e filho e ferimentos em outras quatro pessoas, na noite de domingo, 28, no quilômetro 356 da rodovia Comandante João Ribeiro de Barros (SP-294) em Bauru, no interior de São Paulo.

Eurípedes José Cabral Filho, de 43 anos, voltava de um churrasco levando a namorada, o irmão dela e o filho deste para casa, na Vila Dutra, em Bauru. Ao perceber que tinha passado do trevo de acesso ao bairro, Cabral Filho, decidiu retornar, fez uma manobra na pista, e sem perceber que a rodovia era de mão dupla, retornou na contramão.

Ao se deparar com a Chevrolet Ipanema que Cabral dirigia, um Toyota Corolla desviou, mas o motorista de um Honda Fit, que vinha logo atrás, não teve tempo e bateu de frente com a Ipanema. Com o choque, Luciano Reis, de 37 anos, e seu filho, Guilherme Simão Reis, de 13, que estavam no carro de Cabral, morreram. O garoto chegou a ser socorrido, mas não resistiu. A namorada de Cabral e irmã de Luciano, Fernanda Aparecida Reis, que também estava na Ipanema, teve ferimentos leves. Outras três pessoas, que ocupavam o Honda, foram socorridas em estado grave, mas não correm risco de vida.

Cabral Filho disse à polícia que estava em churrasco em uma chácara e voltava para levar o cunhado e namorada para casa, mas não se atentou para o fato de a rodovia ser mão dupla. Ao ser submetido ao exame de dosagem alcoólica, os policiais constataram que seu nível de álcool no sangue era bem acima do limite, de 0,53 mg/litro. O motorista então teve a prisão em flagrante decretada, segundo o delegado Roberto Medeiros, por homicídio e tentativa de homicídio. Ele seria levado na tarde desta segunda-feira para o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Bauru.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.