Bêbado bate carro, com placa fria, de promotores

Funcionário da Associação Paulista do Ministério Público (APMP), entidade mantida por promotores estaduais, Antônio Miyashiro foi detido em flagrante na madrugada de ontem por dirigir bêbado. Após deter o motorista, a polícia descobriu outro crime: o Toyota Corolla, da associação, rodava com placas frias. As originais (EBS 2272), que constam no Detran-SP, estavam com o lacre no porta-malas.

O Estado de S.Paulo

05 Novembro 2011 | 03h05

Segundo a Polícia Civil, não havia nenhuma multa registrada para o veículo. As chapas serão periciadas pelo Instituto de Criminalística. A polícia vai investigar como o funcionário da APMP, que tem 62 anos e é sargento reformado da Polícia Militar, conseguiu as placas frias.

Miyashiro conduzia o Corolla pela Avenida Washington Luís, sentido centro, no Campo Belo, zona sul de São Paulo, quando bateu na traseira de um Renault. Nem ele nem o condutor do Kangoo, o auxiliar administrativo Luiz Julio Torres, de 32 anos, se feriram. Torres notou que Miyashiro estava alcoolizado e chamou a PM. "Ele nem conseguia ficar de pé", disse Torres.

Miyashiro tinha dificuldade de falar e se recusou a soprar o bafômetro e a depor. A dosagem alcoólica foi constatada por exame clínico no Instituto Médico-Legal (IML). Ele pagou fiança de R$ 1 mil e pôde ficar em liberdade. Procurado, não respondeu aos recados da reportagem. Já a APMP disse que abrirá sindicância para apurar o caso. Um dos serviços oferecidos pela entidade aos promotores associados é licenciamento de veículos. / F.F.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.