Bateria do Alemão tem 95% de jovens

Aos 30 anos de idade, Marcone Sacramento é o mais jovem mestre de bateria do Grupo Especial do Rio. E aos poucos está trocando os componentes de sua ala da Imperatriz Leopoldinense por ritmistas mais moços. "Hoje, 95% dos integrantes da bateria têm entre 16 e 22 anos. Dei oportunidade à garotada da comunidade. Isso é o que falta nesse País", acredita.

, O Estado de S.Paulo

08 Março 2011 | 00h00

Neste ano, ele incorporou o berimbau à bateria da escola de samba do Complexo do Alemão. Em 2010, conseguiu a nota máxima dos cinco jurados.

Para fazer a seleção, ele diz que não submete os garotos a testes formais. Apenas chama os que ouve batucando no complexo e acha que têm talento. "Trago para a quadra, ensino os instrumentos. Se o cara for bom, ele fica."

Mestre Marcone explica que os meninos não ganham nada para tocar na avenida - apenas "a chance maravilhosa que a vida dá para eles (tocar na Imperatriz)". "Comprei o meu primeiro tênis de marca aos 13 anos, com o dinheiro que eu ganhei na bateria. Já fui a cinco países graças à escola. Isso é um incentivo para eles."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.