Bateria de telefone celular explode enquanto é carregada

Ninguém fica ferido no acidente, mas a bateria, o chip e parte do aparelho ficam destruídos no acidente

19 de setembro de 2007 | 10h19

Um aparelho celular pegou fogo enquanto sua bateria era carregada na capital paulista. O aparelho, da marca Motorola, tinha sido colocado para carregar 45 minutos antes. Apesar do incidente, ninguém se feriu, mas a bateria, o chip e parte do celular ficaram destruídos, segundo informações do jornal Bom Dia Brasil, da TV Globo. A dona do telefone, Ana Cristina Harumi Oda, afirmou que várias pessoas ouviram a explosão. "Olhei para a tomada e vi que o celular estava pegando fogo", contou. De acordo com a Motorola, uma bateria nova demora de duas e três horas para carregar; Ana Cristina tinha o celular há dois anos. A empresa disse que entrou em contato com a cliente e fará uma análise do aparelho. Entre abril e março de 2006, foram registrados pelo menos dois casos de explosões de celulares no interior de São Paulo. No dia 20 de março, em Araras, um celular da Motorola explodiu no bolso da calça de uma estudante de 14 anos. Ela teve queimadura de segundo grau na perna. Outro acidente aconteceu em São José do Rio Preto. A bateria estava sendo carregada e o aparelho estava em cima de uma cômoda no quarto do casal Tutako e Jonas de Almeida. Ao explodir, a bateria foi arremessada a uma distância de dois metros e atingiu as costas de Tutako. Assustada, a dona de casa tentou apagar o fogo com as mãos e acabou se queimando. Antes de ser jogado no chão, o aparelho ainda fez um buraco no colchão da cama do casal.

Tudo o que sabemos sobre:
explosão de celular

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.