Bastidores: PT tenta recuperar território perdido dos 'sem partido'

O PT vai entrar no Dia Nacional de Luta, previsto para amanhã, na tentativa de recuperar o território perdido para os "sem partido" nos protestos de rua e defender o governo. Dirigentes petistas conversaram sobre isso com a presidente Dilma Rousseff, na semana passada, e garantiam que estava tudo sob controle. Até que o deputado Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), presidente da Força Sindical, se rebelou e ninguém mais sabe como serão as manifestações. Em conversas reservadas, auxiliares de Dilma admitem que o ato pode ser arriscado e há preocupação no Palácio do Planalto. Petistas, porém, alegam que a manifestação aproxima o partido dos movimentos populares e sociais e, de quebra, faz a propaganda do plebiscito sobre a reforma política. É aí que mora o perigo. Paulinho, como é conhecido o deputado do PDT, ameaça pôr o PT e o governo numa saia justa, caso a reforma política entre em cena. "Se o PT enxertar essa história de plebiscito na manifestação, nós vamos levantar a bandeira do 'Fora Dilma''', avisou o presidente da Força Sindical.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.