Barulho e favela estão na mira da Câmara 2013

Saúde e Plano Diretor também aparecem entre preocupações de novos parlamentares

ARTUR RODRIGUES , DIEGO ZANCHETTA / TEXTO, EDUARDO ASTA, FABIO AMANO , E FABIO SALES / INFOGRAFIA, O Estado de S.Paulo

20 de dezembro de 2012 | 02h03

Endurecimento da lei do silêncio e urbanização de favelas serão os principais temas da Câmara Municipal de São Paulo em 2013. Enquete feita pelo Estado com os 55 vereadores eleitos ainda mostra que a área da Educação perdeu espaço entre as prioridades da próxima legislatura.

Dos 34 vereadores que responderam aos questionamentos, pelo menos dez fazem parte da "bancada do silêncio". "Quero aprovar meu projeto que proíbe carros com som alto em (lojas de) conveniência e praças públicas. Precisamos mudar o Psiu (Programa de Silêncio Urbano) para acionar a Polícia Militar para coibir os bailes funks nas madrugadas", afirmou Arselino Tatto (PT), futuro líder do governo Fernando Haddad (PT).

O tema é de interesse também dos vereadores da "bancada da bala" - Conte Lopes (PTB) e coronel Alvaro Camilo (PSD). "Vou apresentar um projeto de lei para que se possa apreender os carros com som alto e acabar com os pancadões", diz Lopes.

Camilo, por sua vez, pretende usar agentes da Operação Delegada, criada quando ele comandava a PM, nas ações de combate à poluição sonora. Hoje, os policiais atuam contra camelôs e pirataria no centro.

Dos 12 vereadores que afirmaram ter como prioridade a área da Habitação, nove deles terão como foco principal a urbanização de favelas.

Um "incentivo" aos parlamentares para trabalhar nessa área é a verba de R$ 3,36 bilhões para o programa que prevê reurbanizar 118 favelas e recuperar as orlas das Represas Billings e do Guarapiranga. Vereadores que atuaram nessa área na última legislatura foram reeleitos entre os dez mais votados, como Antonio Carlos Rodrigues (PR), Milton Leite (DEM) e Antonio Goulart (PSD). "Vou continuar colocando foco no meu mandato para recuperação das Represas Billings e do Guarapiranga. É uma região que está em transformação com o Programa de Urbanização de Favelas, hoje um dos maiores do mundo", diz Leite.

Entre os entrevistados, oito afirmaram que a Saúde está entre seus principais focos de atuação. Seis vereadores elegeram a revisão do Plano Diretor da cidade como foco. A questão é citada tanto pelos petistas, que planejam colocar em prática o projeto do Arco do Futuro, do prefeito eleito Fernando Haddad, quanto pela oposição. "Serei um debatedor incansável e levarei uma visão moderna, de busca do desenvolvimento da cidade aliado à qualidade de vida e ao senso estético", afirma Andrea Matarazzo (PSDB).

Transporte foi o tema escolhido por seis parlamentares, seguido por Segurança Urbana (quatro) e Educação (três). Vinte e um vereadores não foram localizados ou não responderam.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.