Barracão coletivo só sai em 2013

Fábrica do Samba

Diego Zanchetta e Rodrigo Burgarelli, O Estado de S.Paulo

06 de setembro de 2011 | 00h00

Data de 2004 a primeira promessa da Prefeitura de São Paulo para construir um local específico para os barracões das escolas de samba paulistanas. Foi repetida várias vezes e só em julho a Fábrica do Samba, como é chamada, entrou em obras. Mesmo assim, as escolas estão apreensivas com o andamento dos trabalhos e já desistiram de usar o espaço para o próximo carnaval, como havia sido prometido. A expectativa agora é que esteja em condições apenas em 2013.

1.Qual é a necessidade de se construir a Fábrica do Samba?

Seu principal efeito positivo é facilitar o deslocamento dos carros alegóricos até o Anhembi. Atualmente, há barracões a mais de 5 km do sambódromo, o que complica o processo de levá-los até a passarela. Além disso, várias escolas convivem com problemas constantes de enchentes - em 2010, Pérola Negra e Imperador do Ipiranga tiveram carros e fantasias destruídos pela chuva e tiveram de refazê-los a poucas semanas do evento.

2. Onde será instalada a Fábrica?

Em um terreno de 77 mil m² localizado atrás do Fórum Barra Funda, na zona oeste, a apenas 1,1 km do Sambódromo. O local só foi definido em 2008 e, segundo o prefeito Gilberto Kassab (sem partid0), já deveria estar funcionando no carnaval de 2009.

3. Por que isso não aconteceu?

A principal dificuldade foi a realocação de duas instituições que ocupavam o terreno. O valor também atrapalhou: R$ 124 milhões, dez vezes mais do que o previsto inicialmente. A licitação foi contestada no Tribunal de Contas do Município (TCM) e só foi concluída em meados do ano passado.

4. Qual foi a última promessa?

Quando o consórcio para a construção da obra foi contratado, em agosto de 2010, a previsão era de que os trabalhos durassem 18 meses. A promessa, porém, era de que já seria possível usar parcialmente a estrutura no próximo carnaval. Durante o evento deste ano, Kassab reiterou a expectativa de entregar parte da Fábrica em 2012.

5. A entrega foi adiada?

Não oficialmente, mas as escolas estão preocupadas com o andar das obras e já se programaram para usar seus antigos barracões em 2012. "Estamos em cima do prefeito, pois o andamento está lento", diz Paulo Sérgio Ferreira, presidente da Liga Independente das Escolas de Samba. Semana passada, a Prefeitura realocou R$ 30 milhões do orçamento que estavam destinados ao local. A administração, por sua vez, afirma que a realocação é apenas técnica e que não vai influir nos trabalhos.

A QUEM RECLAMAR

Prefeitura de São Paulo

http://sac.prefeitura.sp.gov.br

Ouvidoria Geral do Município

(11) 0800-175717

(11) 3334-7132

SPTuris - Ouvidoria

(11) 2226-0646 / 2226-0432

www.spturis.com/faleconosco

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.