Bares da Vila Madalena ficam sem água e até fecham as portas

Segundo a Sabesp, problema foi causado por obras de reparo de rede de distribuição entre as Ruas Galeno de Almeida e João Moura

Mônica Reolom e Fabio Leite, O Estado de S. Paulo

30 Julho 2014 | 23h22

SÃO PAULO - Bares e restaurantes na Vila Madalena, zona oeste de São Paulo, ficaram sem água nesta quarta-feira, 30, até o fim da tarde e alguns fecharem as portas. “Já na terça-feira ficamos sem água a partir do fim da tarde e hoje  ela não voltou, então não conseguimos fazer almoço nem jantar. Tivemos de informar aos clientes que não poderíamos servir nenhuma comida”, afirmou Solange Ribas, subgerente do Restaurante Alternativa Casa do Natural, na Fradique Coutinho.

Solange disse que, à noite, o abastecimento havia voltado, 24 horas depois de ser interrompido, mas com pouca pressão. “O chefe de cozinha chega às 7 horas da manhã. Se amanhã estiver como está agora, não vai dar para fazer comida novamente”, disse.

Bares na Rua Wisard também relataram o mesmo problema. O bar Piratininga informou que ficou sem água todo o dia e que ela só retornou às 18h, mesmo caso do Empanadas Bar. Os estabelecimentos não registraram problemas com a clientela.

O Coffee Lab, por sua vez, não pôde abrir. Isabela Raposeiras, dona da marca, reclamou no Facebook que a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) não avisou sobre a falta de água. “Vamos aproveitar o dia para fazer treinamentos”, afirmou.

À noite, ela avisou que o estabelecimento funcionaria normalmente hoje porque a água havia voltado.

A Sabesp informou em nota que o problema foi causado por “obras de reparo de uma rede de distribuição entre as Ruas Galeno de Almeida e João Moura” e que o abastecimento foi interrompido “temporariamente” na região. O serviço seria finalizado às 22h desta quarta e a normalização, segundo a companhia, ocorreria gradativamente durante a noite. 

Idec. O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) divulgou nesta quarta que enviou uma carta para a Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo (Arsesp) “com evidências de que está ocorrendo racionamento de água em São Paulo”. O órgão investiga desde o fim de abril a suspeita de que a Sabesp esteja fazendo rodízio noturno ao reduzir a pressão da água na rede durante a madrugada. 

Segundo o Idec, a campanha “Tô sem água”, lançada no dia 26 de junho, recebeu 494 relatos de cortes no abastecimento até o dia 28 deste mês, uma média de 14 por dia. A Sabesp afirmou que “a amostragem da pesquisa está longe de retratar o universo de clientes atendidos pela companhia”. 

Mais conteúdo sobre:
abastecimento São Paulo Vila Madalena

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.