Bar na Vila Romana sofre o 2º arrastão em quatro meses

Bando armado invadiu o Empório Sagarana, rendeu os clientes e fugiu com celulares, dinheiro, cartões e documentos

William Cardoso, O Estado de S.Paulo

22 de agosto de 2011 | 00h00

Clientes do Empório Sagarana, na Vila Romana, foram vítimas anteontem da onda de arrastões em bares da zona oeste. Criminosos invadiram o estabelecimento, em uma esquina da Rua Marco Aurélio, e levaram documentos, dinheiro, celulares e cartões bancários. É o segundo assalto no local em pouco mais de quatro meses e pelo menos o 29.º envolvendo restaurantes desde o começo do ano na capital.

Quatro homens armados participaram da ação, bastante rápida. Eles entraram no bar por volta das 20h e anunciaram o assalto, sem dar oportunidade de reação aos clientes, que permaneceram imóveis nas mesas. Os bandidos revistaram as bolsas dos clientes e limparam o caixa do bar. Levaram R$ 90 em dinheiro, segundo foi informado ao delegado Ricardo Giuliano Prezia. Ninguém ficou ferido. Os ladrões fugiram e, até a noite de ontem, ninguém havia sido preso.

O caso foi registrado no 7.º DP (Lapa), para onde as vítimas foram encaminhadas. Elas foram orientadas comparecer ao 91.º DP (Ceasa) para tentar reconhecer os criminosos por fotos.

O Empório Sagarana fica a cerca de 700 metros do 7.º DP e também de um batalhão da Polícia Militar. Vizinhos afirmam que nem chegaram a notar a ação dos criminosos anteontem à noite.

O dono do bar é o artista plástico Paulo Leite. Ele compareceu na manhã de ontem à delegacia. Procurado à tarde para falar a respeito do arrastão, ele não se manifestou. Imagens das câmeras de segurança devem ajudar a descobrir a identidade dos criminosos. Até a noite de ontem, nenhuma gravação foi entregue à polícia, segundo a Secretaria de Segurança Pública.

Migração. A ocorrência de arrastões agora na região da Lapa, onde fica a Vila Romana, é vista pela Polícia Civil como consequência do aumento do policiamento em Pinheiros e na Vila Madalena, bairros vizinhos que foram os principais alvos dos bandidos no primeiro semestre.

"O criminoso sempre busca a facilidade. Se concentra o policiamento em determinada área, eles vão para outro local. É uma briga de gato e rato", afirma o delegado-geral da Polícia Civil no Estado, Marcos Carneiro.

O delegado-geral diz que houve alteração no perfil de parte da zona oeste nos últimos dez anos, com a presença de vida noturna em bairros onde anteriormente só havia residências. Isso traria impacto também na segurança pública. Carneiro promete intensificar as investigações.

Questionada sobre o arrastão, a Polícia Militar afirmou que, desde julho, conta com mais de cem policiais realizando operação pontual em regiões da cidade que concentram bares e restaurantes.

CRONOLOGIA

13 de julho

Durante jogo da seleção brasileira, um empório em Pinheiros é alvo de cinco ladrões que fizeram um arrastão.

26 de julho

Choperia na Granja Julieta é invadida por bandidos.

8 de agosto

Restaurante no Morumbi é assaltado.

14 de agosto

Em pleno Dia dos Pais, criminosos fazem arrastão em pizzaria de Santo Amaro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.