Bar na Vila Olímpia é alvo de arrastão

Local, na Rua Quatá, é frequentado por alunos de faculdade vizinha. Quarteto foi preso após testemunha avisar a PM

Camilla Haddad, O Estado de S.Paulo

18 Maio 2011 | 00h00

JORNAL DA TARDE

Clientes de um bar na Rua Quatá, na Vila Olímpia, zona sul da capital paulista, foram vítimas de um arrastão na noite de segunda-feira. Em uma ação que durou cinco minutos, quatro criminosos levaram iPod, celulares, bolsas e carteiras. A polícia conseguiu prendê-los na esquina da Rua Fiandeiras com a Clodomiro Amazonas.

Os objetos foram devolvidos. A maioria das vítimas é formada por estudantes de uma faculdade vizinha ao bar. Moradores afirmam que a concentração de jovens no local é comum por volta das 22h, na saída das aulas.

Uma testemunha contou que pretendia entrar no bar quando notou algo errado. Ao tentar recuar, um dos ladrões ordenou que ela colocasse as mãos na cabeça, a exemplo do que já acontecia com outras seis pessoas. Para intimidar as vítimas, o quarteto fez ameaças de morte.

Em janeiro, um prédio residencial na mesma rua também foi alvo de assaltantes. Moradores viveram cinco horas de medo nas mãos de 15 homens armados durante um arrastão. Uma pessoa armada conseguiu dominar o porteiro na guarita e depois fez ele abrir o portão da garagem.

Em março, após uma onda de arrastões a bares e restaurantes, a Polícia Militar reforçou o policiamento na região dos Jardins, zona sul, e Vila Madalena, zona oeste, bairros que concentravam os casos. Quatro pessoas foram detidas durante as ações.

Sem reação. Para o especialista em segurança Felipe Gonçalves, os bandidos fazem arrastões em bares e restaurantes porque nesses locais há um número razoável de pessoas e o risco de uma reação é praticamente nulo. "E eles têm atrativos, como dinheiro e celulares", ressalta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.