Bando usava site e CDs para roubar mansões

Ladrões faziam lista de placas de carros que encontravam na rua e cruzavam dados para[br]encontrar endereços

Ricardo Valota, O Estado de S.Paulo

10 Fevereiro 2011 | 00h00

Quatro integrantes de uma quadrilha que usava informações confidenciais de donos de veículos para invadir residências na cidade de São Paulo foram presos, no início da noite de anteontem, na Avenida Senador Queiroz, no centro da capital paulista.

Durante uma patrulha, policiais militares das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota) suspeitaram do grupo, que demonstrou nervosismo com a chegada da viatura. Um dos rapazes suspeitos, ao perceber a abordagem, tentou se desfazer de um papel. Os policiais encontraram a folha, que trazia uma lista com nomes, endereços, telefones e placas de veículos, a maioria importada.

Segundo a Polícia Militar, durante o dia, os criminosos faziam uma pesquisa de placas de veículos parados nas ruas e em estacionamentos da região central. A maioria dos carros era de propriedade de chineses, japoneses e coreanos.

Os integrantes do grupo entravam então em um site na internet com essas informações e dados compilados em CDs - comprados, segundo um dos rapazes, na Rua Santa Ifigênia. Por meio do endereço eletrônico, conseguiam levantar dados pessoais dos donos dos veículos, como endereço e telefone.

A quadrilha então telefonava para as residências e, se não houvesse ninguém no local, os ladrões invadiam as casas e furtavam todo tipo de objeto. Mesmo se os moradores estivessem em casa, o bando não desistia do roubo; quando invadiam as residências, aliás, chegavam a agredir algumas vítimas.

Pelo menos 15 donos de veículos incluídos nas listas dos bandidos confirmaram ter sido vítimas de assaltos ou furtos. A PM observou que o site usado pela quadrilha - que será alvo de mais investigações - não tem relação com o Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran) ou qualquer outro órgão público.

Detidos. Foram presos James Levi Duarte da Silva, Sílvio Francioni Perpétuo, Alfredo Ferreira Santos Neto e Reginaldo Cauê Eufrásio, todos maiores de idade. Na casa de Reginaldo, os PMs também encontraram uma pistola .40 com numeração raspada, que teria sido roubada de uma das casas. Os quatro foram autuados em flagrante na sede do Departamento de Investigações sobre Crime Organizado (Deic) por formação de quadrilha. Reginaldo também foi autuado por porte ilegal de arma.

PARA LEMBRAR

Dados são vendidos na Santa Ifigênia3

O Estado revelou, em agosto de 2010, o comércio de cadastros sigilosos na Rua Santa Ifigênia, no centro da capital. Dados pessoais de milhões de consumidores que estariam sob controle de órgãos públicos - como Receita Federal e Detran - e de empresas privadas podem ser facilmente obtidos por quem quiser pagar R$ 150 por um CD ou DVD cheio. Só na lista da Telefônica havia 6,15 milhões de nomes na capital e 4,7 milhões em outras cidades do Estado. Os vendedores destacam que as informações pessoais são recentes - os cadastros mais antigos são de 2007.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.