Bando sequestra gerente e filhos para executar assalto a joalheria

Crianças de 7, 12 e 15 anos foram ameaçadas pelos bandidos e, depois do assalto, deixadas em local diferente da mãe

JOSÉ MARIA TOMAZELA , SOROCABA, O Estado de S.Paulo

11 de maio de 2012 | 03h03

Para assaltar uma joalheria na região central de Sorocaba, na madrugada de ontem, integrantes de uma quadrilha invadiram a casa e sequestraram os três filhos da gerente do estabelecimento, que mora em Votorantim, cidade vizinha. As crianças, de 7, 12 e 15 anos, foram levadas em um carro pelos bandidos, enquanto outros obrigavam a mulher a ir com eles até a joalheria e abrir portas e cofres. Eles ameaçavam assassinar as crianças caso algo desse errado.

Após o saque, a mulher e os filhos foram libertados em locais diferentes. Um dos carros usados na ação era furtado e foi incendiado pelos bandidos após o assalto.

De acordo com a Polícia Militar, os assaltantes invadiram a casa e renderam a gerente quando ela chegava do trabalho, às 18h30 de quarta-feira. Eram pelo menos cinco homens, armados com revólveres e pistolas, com bonés na cabeça e o rosto coberto com capuz.

Os bandidos, que demonstravam haver planejado cuidadosamente o roubo, permaneceram até as 5 horas na residência fazendo ameaças e aterrorizando a família. Nesse horário, três integrantes do grupo saíram da casa levando as crianças em um carro. Em seguida, os outros obrigaram a mulher a entrar em seu próprio veículo e seguir com eles até a joalheria.

Loja saqueada. Sempre ameaçada, ela abriu o estabelecimento para que eles efetuassem o roubo. A loja foi saqueada. Os bandidos fugiram levando o carro da gerente, que depois foi deixada próxima do local.

Eles ordenaram que ela não avisasse a polícia, caso contrário, não veria os filhos. As crianças foram libertadas no bairro Barcelona, em Sorocaba, e caminharam até a casa da avó. A mãe foi localizada pelos parentes em seguida.

O carro usado para sequestrar as crianças foi abandonado e incendiado no bairro Santo Antonio, em Votorantim. Segundo a PM, o veículo tinha sido roubado há cerca de um ano. A joalheria é tradicional na cidade.

O valor das joias roubadas não foi divulgado. Ninguém havia sido preso pela polícia até a noite de ontem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.