Bando rouba tablet em arrastão e acaba preso

Sistema de rastreamento pela internet de iPad levou a polícia a deter dois suspeitos

CAMILLA HADDAD, O Estado de S.Paulo

14 Abril 2012 | 03h04

Com o auxílio do rastreador de um tablet, a Polícia Militar prendeu uma mulher e deteve um adolescente que tinham acabado de participar de um arrastão no Fran's Café em Moema, zona sul da capital paulista. Logo após o crime, às 23h de anteontem, uma das vítimas afirmou para um soldado que seu iPad poderia ser localizado pela internet. A dupla acabou detida na Liberdade, no centro. Outros três envolvidos fugiram a pé.

Oito clientes estavam nas mesas da cafeteria, na Avenida Rouxinol, quando duas mulheres entraram com dois homens e anunciaram o assalto. Do lado de fora, um outro rapaz esperava em um Corsa Wind. Segundo as testemunhas, a ação foi rápida. Uma das vítimas calcula que em cinco minutos os assaltantes entraram, recolheram os objetos de valor e saíram. As vítimas eram empresários, designers e um produtor de espetáculos. Eles contaram na delegacia que não houve agressão. Mas, durante a abordagem, os bandidos mostraram uma pistola aos clientes.

O que o grupo não contava era que o tablet de uma fiscal de setor, de 25 anos, podia ser rastreado, pois tinha um software antifurto instalado. Depois da fuga dos suspeitos, PMs e vítima começaram uma varredura pelo computador e conseguiram detectar que o aparelho estava na Rua Mituto Mizomoto, no bairro da Liberdade, no centro.

Durante a perseguição pela Liberdade, o bando só parou porque um caminhão de lixo parou na frente do carro em que estavam os assaltantes. "Três fugiram e conseguimos pegar um adolescente, de 16 anos, e uma mulher de 20", conta o soldado Edran dos Santos Souza, da 2.ª Companhia do 12.º Batalhão (Campo Belo), que participou da ocorrência. Uma pistola 380 foi encontrada com a dupla.

Tecnologia. O policial militar disse que a ajuda do rastreador foi importante, mas ele alertou que não dá para depender da tecnologia. "Foi sorte. Já participei de ocorrência em que o ladrão percebeu o rastreador e jogou o objeto fora. Mas, quando não percebe, acaba dando certo", disse.

Entre os pertences roubados dos clientes estavam R$ 1,6 mil, bolsas, carteiras, celulares modernos e computadores. Parte dos produtos foi devolvida para as vítimas. O resto foi levado pelos três que fugiram.

A mulher detida foi identificada pela polícia como Janaína Azevedo, de 20 anos. Ela não tem passagem criminal. O carro, o Corsa, não era roubado e estava com o licenciamento atrasado.

O delegado titular do 27.º DP (Campo Belo), Armando Bellio, suspeita que o grupo que assaltou o estabelecimento desta vez é responsável por ter feito outro arrastão, no dia 9, no restaurante Mexicaníssimo, na Vila Olímpia. O mesmo veículo foi usado nos dois assaltos - e nos dois casos há mulheres entre os suspeitos.

Histórico. Em 2009, a mesma cafeteria foi alvo de arrastão. Na ocasião, quatro criminosos chegaram por volta das 22h, renderam 12 clientes e as cinco funcionárias do local e se dividiram entre a vigilância na porta e o recolhimento dos objetos roubados. Dois deles estavam armados. Foram levados seis notebooks, bolsas, carteiras, celulares e relógios de grife. Os donos da cafeteria não foram localizados para comentar o caso até as 20h de ontem.

Desde janeiro, a capital paulista registra uma onda de arrastões, com dez casos até ontem- a maioria na área das zonas sul e oeste que incluem os distritos de Itaim-Bibi, Morumbi, Pinheiros, Jardim Paulista e Moema. Só uma ocorrência foi registrada na zona norte. O crime foi em uma pizzaria no bairro da Vila Guilherme. Para fugir, uma quadrilha usou o carro de uma vítima.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.