Bando mantém médico refém por 3 horas e gasta R$ 5 mil em tênis

Sequestro relâmpago começou em Pinheiros e incluiu parada para compras no Jaguaré. Rota prendeu criminosos

CAMILLA HADDAD, PEDRO DA ROCHA, O Estado de S.Paulo

10 de maio de 2012 | 03h03

Um médico de 33 anos foi vítima de um sequestro relâmpago, na noite de anteontem, quando descia de seu carro, um Toyota Corolla, em Pinheiros, zona oeste de São Paulo. Ele foi mantido refém por três horas e teve um prejuízo de R$ 5 mil. Na ação, o bando usou armas e um equipamento de choque para intimidá-lo.

Uma testemunha que passava pelo local da abordagem desconfiou da movimentação e avisou a Polícia Militar. Cinco pessoas foram detidas em flagrante - três delas eram adolescentes.

Por volta das 20h40 de terça-feira, o médico estacionava na Rua Silva Prado, quando foi abordado por quatro criminosos. Na sequência, um quinto suspeito chegou em um Celta preto.

Com armas, eles ordenaram que a vítima passasse para o banco de trás do veículo. Todos circularam pela cidade com o refém. No caminho, houve uma parada para compras em um shopping. O valor gasto foi de R$ 5 mil em tênis de marca, até mesmo modelos femininos. Também foram sacados R$ 3 mil em um caixa eletrônico da zona oeste, mas esse dinheiro foi recuperado.

De acordo com o médico, que não quis se identificar, o grupo foi para o Continental Shopping, no Jaguaré, zona oeste de São Paulo, para escolher os tênis. "(Alguém) perguntou (por telefone) quais produtos eles queriam."

A vítima disse também que não foi agredida. "Falei que não me importava com o dinheiro, podiam levar o que quisessem. Eles disseram que não iriam me machucar, queriam apenas sacar dinheiro."

Policiais das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar, a Rota, patrulharam a região e encontraram o veículo parado. "Fizemos o cerco e os suspeitos se entregaram sem resistir. Vimos então que duas das armas eram réplicas de pistolas", disse o tenente da PM Silvio Pronestino.

Empresária. Na mesma noite, na terça-feira, uma empresária de 30 anos foi libertada pela PM depois de ter sido sequestrada por assaltantes na Estrada do Campo Limpo, zona sul. Ladrões mantiveram a mulher no carro dela, um Hyundai Santa Fé. Um casal acabou detido pela PM com cartões da vítima.

Segundo a polícia, a empresária foi obrigada a andar com os bandidos por um shopping no mesmo bairro. Ela não foi agredida. Os dois presos eram foragidos de Centros de Detenção Provisória (CDPs) da capital.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.