Polícia Militar/Divulgação
Polícia Militar/Divulgação

Bando explode carro-forte e leva malotes no interior de São Paulo

Explosão foi tão forte que destruiu completamente o carro-forte da empresa de transporte de valores; até o asfalto foi danificado

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

06 Setembro 2017 | 15h32
Atualizado 06 Setembro 2017 | 21h40

SOROCABA - Um bando armado com fuzis atacou e explodiu um carro-forte da empresa de transporte de valores Protege, na manhã desta quarta-feira, 6, na Rodovia Carlos Tonani (SP-333), em Barrinha, no interior de São Paulo. Os criminosos usaram quatro carros para interceptar o blindado na altura do quilômetro 108, entre Barrinha e Jaboticabal.

Os tiros atingiram a lataria, os pneus e o para-brisas do carro-forte e o motorista foi obrigado a parar. Ele e os quatro seguranças foram rendidos e retirados do veículo, que recebeu uma carga de explosivos.

A explosão foi tão forte que destruiu completamente o blindado e entortou as defensas metálicas da rodovia, que foi bloqueada pelos criminosos. Até o asfalto foi danificado. O bando saqueou o dinheiro disposto em malotes e usou os carros para a fuga. Ninguém ficou ferido com gravidade. No local, foram encontradas cápsulas de munição para fuzil ponto 50, arma capaz de derrubar um helicóptero. 

Com os destroços espalhados pela pista, a rodovia foi interditada pela Polícia Militar Rodoviária para os trabalhos de perícia da Polícia Civil. O trânsito foi desviado para uma via marginal. Policiais militares e rodoviários, com o auxílio de um helicóptero, fizeram uma varredura na região. Até o início da noite, nenhum suspeito tinha sido preso.

Carro. A Polícia Militar localizou um dos veículos usados por criminosos. O SUV blindado, com placas de São José do Rio Preto, foi achado na Estrada Vicinal Said Ahmed Saleh, a dez quilômetros do local do assalto. Os criminosos arrancaram o estofamento e destruíram o carro, provavelmente para ocultar impressões digitais.

De acordo com a PM, o blindado tinha buracos abertos no vidro traseiro, por onde os criminosos posicionaram o cano dos fuzis para fazer disparos contra o motor do carro-forte. Foram encontradas cápsulas de munição para fuzis 762 e ponto 50, arma capaz de derrubar um helicóptero. 

A Protege informou que colabora com as investigações em curso, está à disposição das autoridades e tem como política não comentar sobre valores transportados.

Segundo caso

Em março deste ano, dez homens armados atacaram e explodiram um carro-forte da Protege no km 100 da mesma rodovia. Os bandidos fugiram com os malotes de dinheiro, mas foram cercados pela Polícia Militar. No tiroteio, um policial militar de 28 anos foi atingido na cabeça e morreu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.