JF Diorio/AE
JF Diorio/AE

Bando entra em prédio por casa vizinha

Ladrões dominaram família, pularam muro e assaltaram condomínio de 10 apartamentos

Camilla Haddad, O Estado de S.Paulo

04 Dezembro 2010 | 00h00

O jantar seria servido quando uma quadrilha de oito ladrões invadiu o sobrado de um despachante, às 22h de quarta-feira, na Rua Itaoca, na Saúde, zona sul da capital, para usar a casa como acesso ao Residencial New Castle, um prédio com dez apartamentos, um por andar, onde o bando fez um arrastão. O crime ocorreu na madrugada de quinta-feira.

Antes disso, a família de quatro pessoas foi obrigada, sob mira de armas, a comer macarrão, assistir TV com os criminosos e seguir com eles para o prédio, ficando refém até as 8h30. Ninguém foi preso.

O crime começou quando o filho do despachante, um universitário, foi rendido ao abrir o portão da garagem para estacionar sua moto. O bando entrou logo atrás e invadiu o imóvel. Permaneceu ali até o momento de atacar o prédio vizinho, às 4h. Para isso, os assaltantes colocaram uma escada no muro e um deles desceu no condomínio para render o porteiro na guarita. Com o controle da garagem em mãos, abriu o portão para os outros sete comparsas, que estavam em um furgão. Há a suspeita de que mais dois homens faziam a cobertura do lado de fora, em um carro preto.

"Eu estava esquentando macarrão para meu filho e eles chegaram. Aí disseram "na boa, na boa, vamos só invadir o prédio do lado para fazer um arrastão"", disse o despachante, que não ficou ferido.

"Ficamos com armas apontadas para nós. Minha mulher e minha nora assistiram televisão. Nem dormimos. Depois, eles nos levaram até o prédio, enquanto o roubo acontecia." A família foi mantida com o bando até a conclusão do roubo, para evitar que a polícia fosse chamada. O despachante, sua mulher, filho e nora foram trancados com o porteiro no quarto onde ficam os quadros de eletricidade do edifício.

Segundo a vítima, nada foi levado de sua casa. Já no condomínio a situação foi bem diferente. Um dos funcionários disse que a quadrilha ficou das 4h até as 8h30 e rendia moradores quando saíam para trabalhar. Um morador que foi vítima contou por telefone que o clima é de "medo" e que não queria expor os vizinhos, para evitar novos roubos no mesmo endereço. Ontem à tarde, o fato ainda era comentado entre famílias que vivem na região. "Foi impressionante. Ninguém das casas do lado ouviu nada nem desconfiou", disse uma dona de casa que vive na Saúde há 15 anos.

Arma. Segundo a polícia, foram roubados joias, dinheiro e até uma arma de um dos condôminos, uma pistola Taurus, calibre 765, além de um carregador municiado. O proprietário tinha porte de arma. Da mesma vítima também foi levado um Toyota Corolla, que estava no subsolo do residencial. Em outro apartamento o bando levou dinheiro e mais joias.

No condomínio há uma câmera que, de acordo com policiais, apenas registra imagens, sem gravar. No dia seguinte ao crime, o Fiat Estrada Adventure do despachante foi achado na Rua Ibirarema e devolvido a ele. O caso foi levado ao 16.º Distrito Policial (Vila Clementino).

PRESTE ATENÇÃO...

1. Evite deixar o controle remoto do portão da garagem dentro do carro. O equipamento pode ser furtado e usado para a entrada dos assaltantes.

2. Encomendas devem ser depositadas em "gaiolas", sem que entregadores entrem no prédio. Exija que os porteiros façam esse procedimento.

3. Nunca deixe chaves na portaria e nunca permita a entrada de um visitante, mesmo conhecido do morador, sem cadastro no prédio.

4. Ao entrar e sair, jamais deixe de verificar se há suspeitos nas proximidades. Se desconfiar de alguém, dê uma volta no quarteirão.

5. Fitas de circuito de segurança devem ser mantidas em local isolado e listas com telefones de emergência devem ficar em pontos estratégicos.

6.Ao contratar funcionários, devem ser cobrados antecedentes e referências. O condomínio deve promover cursos de segurança para eles.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.