Google Street View
Google Street View

Bando bloqueia rodovia, explode carro-forte e foge sem levar dinheiro

Quadrilha usou caminhão-baú para bloquear a passagem do carro-forte

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

10 Abril 2018 | 09h49

SOROCABA – Uma quadrilha armada com fuzis bloqueou uma rodovia e atacou um carro-forte, no fim da noite desta segunda-feira, 9, na região de Marília, interior de São Paulo. Os criminosos atiraram contra o veículo para obrigar o motorista a parar. Depois de render os seguranças, os assaltantes instalaram dinamites para explodir o veículo, mas parte dos explosivos não funcionou. O caixa-forte resistiu ao impacto e o bando fugiu sem levar o dinheiro.

+++ Em 24 horas, 5 casos de feminicídio são registrados no interior

De acordo com a Polícia Militar, o carro-forte da Protege havia recolhido malotes com dinheiro de ao menos sete empresas de Marília e seguia para a sede da empresa de transporte de valores, em Bauru. O ataque aconteceu na rodovia Comandante João Ribeiro de Barros (SP-294), próximo ao trevo de acesso à cidade de Gália. A quadrilha usou um caminhão-baú para bloquear a passagem do carro-forte. Ocupantes de dois carros passaram a disparar contra o veículo, obrigando os seguranças a se renderem.

+++ Bando explode carro-forte e leva malotes no interior de São Paulo

Depois da explosão, os bandidos verificaram que o cofre onde estavam os malotes não abriu. Eles liberaram os reféns e fugiram. À chegada da polícia, as duas pistas da rodovia foram interditadas. Os policiais recolheram cápsulas de munição para fuzil deflagradas e parte dos explosivos deixados para trás. 

O Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) foi chamado para recolher o material. Foi constatado que os explosivos não detonaram porque estavam úmidos. Até a manhã desta terça-feira, 10, a polícia continuava as buscas por suspeitos. Não houve feridos na ação.

Mais conteúdo sobre:
Marília [SP]rouborodovia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.