Bando atira contra PMs e causa pânico perto de metrô na zona sul

Três policiais ficaram feridos por cinco homens em fuga que haviam sido abordados na Vila das [br]Belezas; 1 foi preso

Fabiano Nunes, O Estado de S.Paulo

14 de setembro de 2011 | 00h00

Perseguição, tiroteios, tumulto e três policiais militares feridos após rajadas de metralhadora e disparos de fuzil. Esse foi o saldo de uma abordagem da Polícia Militar na manhã de ontem, próxima da Estação Vila das Belezas do Metrô, na Linha 5-Lilás, zona sul de São Paulo. Um suspeito, de 19 anos, foi preso e outros quatro estão sendo procurados.

Durante o tumulto, para fugir da PM, a quadrilha roubou quatro veículos que estavam presos no trânsito e causou pânico a motoristas e pedestres que passavam pelo local. "Eu estava na frente de uma escola quando ouvi os disparos. Vi as crianças correndo, havia muita confusão", relata a secretária Valéria Argetti, de 40 anos, que ia para o trabalho em seu Pálio quando foi levado pelos criminosos na Avenida Carlos Caldeira Filho.

De acordo com o relato da PM, três policiais da Ronda Ostensiva Com Apoio de Motocicletas (Rocam) abordaram um Fiat Idea, com placas falsas, por volta das 7h, na Avenida Carlos Caldeira Filho, na Vila Andrade. Quando foi pedido para que os homens saíssem do carro, o bando fugiu e começou a atirar.

"Foram duas rajadas contra a moto. Não revidamos, pois havia risco de bala perdida. Muitas pessoas estavam na rua, no caminho para o metrô", disse o soldado Ronald. No tiroteio, outro soldado da PM, de 30 anos, levou um tiro na perna. Ele foi socorrido pelo helicóptero Águia e levado ao Hospital da Polícia Militar. Seu estado de saúde é estável.

Na fuga, o pneu do carro dos criminosos furou e eles passaram a abordar os motoristas presos no trânsito. Outros quatro carros foram roubados para que a quadrilha pudesse fugir da polícia. Na perseguição, um carro da PM capotou na Avenida Giovanni Gronchi, no Morumbi.

Segundo a PM, Washington Souza Reis, de 19 anos, foi detido portando uma pistola automática pela Guarda Civil Metropolitana, perto da Estação Vila das Belezas. Ele foi reconhecido por policiais militares da Rocam como um dos criminosos que participaram do tiroteio. O advogado de Reis, que não quis se identificar, negou a participação dele no caso. O suspeito já teria passagens por furto e porte de arma.

Os carros da fuga - Uno, Saveiro, Palio e Meriva, além do Idea - foram abandonados em ruas próximas do local do tiroteio.

REAÇÕES

Valéria Argetti

Secretária, de 40 anos

"Vi que eles pegaram um Uno que estava na minha frente. Outros dois homens vieram na minha direção. Pensei "meu Deus" e já soltei o cinto de segurança. Sabia que eles iam pegar meu carro para a fuga. Foi tudo muito rápido. Eles gritaram "desce, desce" e fugiram"

Comerciante

55 anos

"Chegaram apontando o fuzil para minha cabeça. Desliguei o carro e deixei a chave sobre o banco. Minha mulher pediu para pegar a bolsa e deixaram"

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.