Bando armado rouba joalheria em shopping de luxo no Morumbi

Loja foi invadida no meio da tarde por oito homens mascarados, em ação gravada por câmeras

Josmar Jozino e Bruno Tavares,

16 de maio de 2010 | 17h01

Oito homens fortemente armados invadiram na tarde deste domingo a joalheria Tiffany & Co. do Shopping Cidade Jardim, no Morumbi, zona sul de São Paulo, levando anéis, pulseiras, brincos e outras joias. Na fuga, um dos criminosos fez um disparo de escopeta. O tiro atingiu a parede do shopping e levou pânico a frequentadores. Um vigia da loja foi levado como refém, mas acabou libertado. Ninguém foi preso.

 

O bando chegou ao shopping às 15h20, pelo acesso da Avenida Magalhães de Castro (pista local da Marginal do Pinheiros) reservado ao serviço de manobrista. Os bandidos estavam em dois carros - um Gol cinza e um Golf preto. De dentro dos veículos desceram seis deles, que anunciaram o assalto e imediatamente se dirigiram para a loja, localizada no mesmo piso.

 

A ação durou três minutos. Foram rendidos o gerente da Tiffany Arthur Silva Barros, duas vendedoras, uma copeira e um segurança da loja. Segundo a Polícia Militar, as vítimas não sofreram agressões físicas, apenas verbais. Elas foram obrigadas a abrir as vitrines, retirar as peças e entregá-las aos criminosos. Um colar de diamantes da Tiffany chega a custar R$ 300 mil.

 

Ao perceber que a loja estava sendo assaltada, uma vigilante do Cidade Jardim acionou a campainha que alerta a central de segurança do shopping. Nesses casos, disse ao Estado um integrante da equipe de segurança, a orientação é para que os vigias não reajam. O efetivo que circula no interior do shopping trabalha desarmado. O único homem armado, que fica nas docas (armazéns) do shopping com um revólver calibre 38, chegou a se colocar em posição de tiro para tentar impedir a fuga, mas recuou ao ver que os bandidos tinham armas de grosso calibre - fuzil, submetralhadora, escopeta calibre 12 e pistolas.

 

Imagens

 

Os dois veículos usados na fuga foram abandonados no Brooklin, perto da Ponte Estaiada Octavio Frias de Oliveira. O refém foi deixado na mesma região, sem ferimentos.

 

As câmeras do circuito interno de TV registraram todo o assalto. As imagens mostram dois homens mascarados e seis de cara limpa, segundo relato feito à polícia por funcionários do shopping. Neste domingo, investigadores do 34º Distrito Policial (Morumbi) e três funcionários do Cidade Jardim se reuniram para assistir à gravação. A polícia acredita que o vídeo possa ajudar na identificação dos ladrões.

 

Depois do assalto, a Tiffany do Cidade Jardim fechou suas portas. A loja deve avaliar nesta segunda quantas peças foram roubadas e o valor de cada uma. Esta é a primeira vez que a grife americana é alvo de bandidos no Brasil.

 

No fim da tarde, um segurança, um advogado da loja e um gerente estiveram na delegacia para prestar depoimento. O delegado plantonista do 34º DP João Aparecido Celeste solicitou ao Instituto de Criminalística (IC) que enviasse peritos ao local. A delegada seccional Elaine Biasoli Pacheco, que chefia as delegacias da zona oeste da capital, colocou homens do Setor de Investigação Geral (SIG) da 3.ª Seccional para auxiliar na apuração.

 

Nota

 

Em nota conjunta distribuída à imprensa, a administração do Shopping Cidade Jardim e a Tiffany confirmaram o assalto. O texto assinala que ninguém ficou ferido, informa que a loja retomará suas atividades nesta segunda e manifesta confiança no trabalho da polícia. "O caso foi entregue às autoridades e acreditamos na capacidade da polícia de elucidá-lo o quanto antes".

Tudo o que sabemos sobre:
assaltojoalheria

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.