Bando aproveita falta de luz para fazer arrastão

Porteiro foi dominado pelos ladrões que estavam armados com revólveres e pistolas

Marcelo Godoy e William Cardoso - O Estado de S. Paulo,

12 Março 2012 | 23h30

SÃO PAULO - Moradores de um prédio na Alameda Tietê, no Jardim Paulista, área nobre na zona sul de São Paulo, ficaram na manhã de domingo por cerca de uma hora e meia nas mãos de criminosos. Os bandidos aproveitaram uma queda de energia na região e abriram com as mãos o portão de entrada da garagem. O porteiro desceu para verificar o que havia acontecido, mas acabou dominado pelos ladrões, que estavam armados com revólveres e pistolas.

Os bandidos levaram, principalmente, aparelhos eletrônicos. A quadrilha tinha entre 10 e 12 integrantes. Foi o sétimo arrastão a condomínios na capital desde o início do ano. O assalto aconteceu por volta das 9h30. Parte da quadrilha chegou ao prédio em um Space Fox prata e estacionou próximo da garagem, sem chamar a atenção de vizinhos ou do porteiro.

Na sequência, os bandidos usaram o mesmo procedimento adotado em outros arrastões na capital neste ano. Os moradores que desciam até a garagem eram dominados pelos ladrões e obrigados a voltar aos apartamentos. Usando de pressão psicológica, o bando conseguiu roubar celulares, computadores, câmeras, televisores e outros aparelhos eletrônicos. Ninguém ficou ferido. Pelo menos cinco famílias foram roubadas, segundo a polícia.

Não há circuito interno de vigilância no prédio. Ontem, a síndica já estudava medidas de segurança para evitar novos assaltos. Hoje, haverá uma reunião para discutir o que será feito.

A delegada Victoria Guimarães, titular do 78.º Distrito Policial (localizado nos Jardins), afirmou que esse foi o primeiro arrastão do ano em sua área de atuação. "Esperamos também que seja o último", disse.

Investigação. O Deic já identificou duas quadrilhas responsáveis pelos outros seis arrastões ocorridos em São Paulo desde o início do ano. O delegado Mauro Fachini disse que os ladrões que atuaram no último domingo fazem parte, possivelmente, de um novo bando. "As vítimas desse último assalto não reconheceram os bandidos."

Foi preso no fim de semana o quarto integrante de uma quadrilha que promoveu ataques em pelo menos três condomínios. O caso mais recente foi a ação na quinta-feira em um condomínio residencial na Rua Rodésia, na Vila Madalena.

Mais conteúdo sobre:
arrastãoSão Pauloroubo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.