Bandidos invadem residência de jogador brasileiro de vôlei

Um dos assaltantes, que estava armado com uma espingarda, foi dominado pelo caseiro

Daniela do Canto, da Central de Notícias,

15 Janeiro 2010 | 06h03

O líbero da seleção brasileira de vôlei Sérgio Dutra Santos, de 34 anos, mais conhecido como Serginho, teve a casa onde mora invadida por três assaltantes na noite desta quinta-feira, 14, na região de Perus, zona norte de São Paulo. O caseiro da residência, localizada em um condomínio de chácaras no bairro Anhanguera, conseguiu dominar um dos ladrões, que foi preso pela polícia, acionada em seguida. Os dois comparsas fugiram.

 

Os assaltantes chegaram ao local pouco antes das 20 horas. No momento, apenas o caseiro e a esposa estava na casa. Serginho havia saído para jogar em uma partida pelo time do qual faz parte, o Brasil Vôlei Clube, de São Bernardo do Campo. O time jogaria na cidade do ABC paulista contra o Soya/Blumenau/Furb/Barão, às 20 horas.

 

Um dos bandidos, armado com uma espingarda, foi visto pelo caseiro, que mentiu estar armado e mandou que o ladrão largasse a arma. O assaltante obedeceu de jogou a espingarda no chão.

 

Identificado posteriormente pela polícia como Tiago Carlos de Jesus Santos, de 19 anos, ele foi dominado pelas costas pelo caseiro. Na mesma hora, a esposa do funcionário do jogador a Polícia Militar sobre o crime.

 

Com o detido, os PMs encontraram uma mochila que continha fita isolante. A polícia acredita que o adesivo seria usado para amarrar as vítimas. Os dois comparsas de Santos fugiram pela mata que cerca o condomínio. Até o final da madrugada de sexta-feira, 15, eles não haviam sido encontrados.

 

Um dos fugitivos, que possui o apelido de "Toco", chegou a trabalhar como cortador de grama em uma vizinha. Foi quando ele ficou sabendo que o jogador da seleção morava no local. Os três assaltantes residem no bairro do Recanto dos Humildes, na região de Perus.

 

O jogador Serginho foi avisado da tentativa de assalto pela diretoria do Brasil Vôlei Clube momentos antes da partida. Ele acabou dispensado e não entrou em campo. O caso foi registrado no 46º Distrito Policial (Perus).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.