Bandidos invadem casa de gerente de banco e são baleados

Enteado da vítima reagiu ao assalto e baleou os ladrões; os dois passaram por cirurgias no hospital

Daniela do Canto, estadão.com.br

03 Abril 2009 | 06h51

Dois bandidos foram baleados durante a invasão da residência de um gerente do Banco do Brasil em São Bernardo do Campo, no ABC paulista, na noite de quinta-feira, 3. Eles se aproveitaram da chegada da vítima em casa, por volta das 20 horas, no Jardim Santo Inácio, para entrarem no local. O enteado do gerente, um escrivão de 26 anos, resolveu reagir e baleou os dois invasores, que ainda não foram identificados pela polícia.

 

No momento do crime, quatro pessoas estavam na residência. Segundo informações da Polícia Civil, ao notar a movimentação dos assaltantes, o escrivão, que trabalha em Santo André, também no ABC, se identificou como policial e foi recebido a tiros pelos bandidos. Ele reagiu com a sua pistola ponto 40 e conseguiu atingir o abdome e o braço do primeiro invasor, ainda na sala da residência. O segundo tentou correr e foi baleado na garagem. Mesmo ferido nas pernas, ele conseguiu fugir em um Volkswagen Fox, com a ajuda de dois outros comparsas que permaneceram do lado de fora da casa durante a invasão.

 

Pouco depois um Volkswagen Gol deixou um homem baleado no Pronto-Socorro do Hospital Heliópolis, na zona sul de São Paulo. A vítima e testemunhas do crime foram levadas pela polícia ao hospital e o reconheceram como um dos participantes do crime. O outro bandido baleado, que permaneceu no local do crime, foi socorrido ao Hospital Municipal de Diadema, na Grande São Paulo. Os dois passaram por cirurgias, por isso a polícia ainda não colheu as impressões digitais para fazer a identificação.

 

De acordo com o delegado Mitiaki Yamamoto, da Delegacia Seccional de São Bernardo do Campo, o objetivo dos criminosos era fazer o gerente como refém. "Eles anunciaram que a intenção era sequestrar o gerente, mas não contavam que um parente dele era policial", disse. A polícia agora deve investigar se os bandidos queriam obter o pagamento de um resgate ou forçar a entrada na agência onde a vítima trabalha, na esquina da Avenida Kennedy com a Rua Continental, na Vila Marlene.

 

O delegado explicou que durante a ação os comparsas que permaneceram do lado de fora se comunicavam com os invasores por telefone celular. Com o homem baleado dentro da residência, a polícia apreendeu um celular e uma pistola calibre 380. Uma outra pistola, ponto 40, foi deixada no local do crime pelo bandido que fugiu e terminou no hospital.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.