Bandido se passou por vítima em casa cercada pela PM; não havia reféns

Um dos criminosos ligou para o 190 da PM e disse que fora rendido pelos bandidos, como vítima; a polícia não sabia quem estava dentro da residência e abriu negociação para tentar libertar os reféns

Pedro da Rocha - O Estado de S. Paulo,

09 de novembro de 2012 | 13h55

Notícia atualizada às 16h13

 

SÃO PAULO - A Polícia Militar (PM) prendeu sete homens, na tarde desta sexta-feira, 9, que suspeita-se estariam planejando um assalto a banco. Os policiais trocaram tiros com os criminosos na Rua Rola Cabocla, em Guaianazes, na zona leste de São Paulo, e em seguida os criminosos fugiram para uma casa. Um deles ligou para a polícia e se passou por refém, o que fez com que a PM abrisse negociações com os bandidos. Depois de duas horas todos se renderam e foram presos. Um morreu na troca de tiros.

A Polícia Militar recebeu um chamado de homens armados que estariam em frente a uma casa no número 63 da Rua Rola Cabocla. Uma viatura da Força Tática do 38º Batalhão trafegava próximo ao local e chegou rapidamente, às 12h, surpreendendo oito homens armados com pistolas, fuzis e revólveres. Segundo a PM, os suspeitos atiraram contra os policiais, que revidaram. Três dos criminosos foram presos do lado de fora. Os cinco restantes entraram na casa.

Um dos bandidos ligou para o 190 da PM e disse que estava sendo feito refém, se passando por vítima, e pediu a polícia no local. Um segundo criminoso assumiu o telefone e continuou a farsa, contando que estava com vários reféns. O tenente Feitosa, que comanda o Centro de Operações da Polícia Militar (Copom), iniciou as negociações com o bandido.

Enquanto isto, no local, a PM cercou a casa e acionou o Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) para comandar a negociação na casa. Os bandidos disseram que iriam entregar um refém para que fosse levado ao hospital. Era um dos criminosos, que foi atingido por três disparos da PM e encaminhado pelos bombeiros para o hospital Santa Marcelina.

Em determinado momento as negociações foram encerradas por telefone e permaneceram apenas na residência, cercada. Depois de duas horas, às 13h53, os bandidos se entregaram. Um deles ferido com um tiro na axila e outro foi encontrado baleado e morto dentro da casa.

Inicialmente a PM achou que o primeiro homem libertado era vítima, mas depois constatou que apenas os criminosos estavam na casa. Na residência havia oito carros, que estão sendo periciados em busca de drogas e armas. Ainda não se sabe qual banco os homens iriam assaltar. O caso deve ser encaminhado para o 53º Distrito Policial.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.