Bandido mata menina de 5 anos e o pai em Mogi

Família ia ao correio colocar uma carta da menina com pedidos para o Papai Noel quando foi atingida em ponto de ônibus

Laura Maia, O Estado de S.Paulo

11 Novembro 2013 | 02h03

SÃO PAULO - Um homem e sua filha de 5 anos foram assassinados nesse sábado, 9, de manhã em um ponto de ônibus no distrito de Jundiapeba, em Mogi das Cruzes, na Grande São Paulo. A mãe da criança também foi baleada e permanecia internada em estado grave até as 19 horas de ontem. A família ia ao correio colocar uma carta da menina com pedidos para o Papai Noel.

De acordo com a Polícia Civil, testemunhas disseram que José Cosme de Barros, de 63 anos, sua mulher Naircleide Duarte, de 28, e sua filha Julyana de Barros, de 5, estavam correndo para embarcar no ônibus, quando um homem, que já estava no ponto, abordou a mãe perguntando se ela era uma determinada pessoa. A mulher negou e, com a filha no colo, tentou subir no coletivo, mas o criminoso sacou uma pistola de calibre 9 mm. Neste momento, Barros entrou em luta com o homem, que chegou a deixar a arma cair no chão. No entanto, o criminoso a recuperou e atirou duas vezes na cabeça de Barros.

Em seguida, o bandido apontou a pistola para a mulher e, mesmo após ela implorar para que ele não atirasse na garota, ele fez vários disparos na direção da mãe e da criança.

Julyana e Barros morreram no local. Antes de fugir, o assassino ainda deu coronhadas na cabeça da mulher.

Naircleide foi levada em estado grave para o Hospital Luzia de Pinho Melo, onde permanecia internada na noite de ontem em estado grave.

O crime deve ser investigado pelo Setor de Homicídios da Delegacia Seccional de Mogi das Cruzes. Por enquanto, a polícia não tem pistas sobre o criminoso.

Estatística. Segundo as estatísticas da Secretaria Estadual da Segurança Pública, até setembro deste ano, 37 pessoas haviam sido assassinadas em Mogi das Cruzes. O número supera o total de vítimas desse tipo de crime registrado em 2012, quando 35 pessoas foram mortas - em 2011 houve a mesma quantidade de homicídios.

Mais conteúdo sobre:
Mogi das Cruzes violência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.