Bandido dispara com fuzil contra PM do telhado de banco na zona leste de SP

Atirador foi detido atrás de caixa d'água, em cima de casa próxima à agência bancária; os outros criminosos fugiram e nada foi roubado

Pedro da Rocha, do estadão.com.br

02 de agosto de 2011 | 07h32

SÃO PAULO - De tocaia, em cima do telhado de um Banco Itaú, um criminoso disparou duas rajadas de tiros contra policiais militares que foram verificar uma ocorrência de roubo na agência, por volta de 00h30 desta terça-feira, 2, localizada na Avenida Guapira, 2677, no bairro Tucuruvi, zona norte de São Paulo. O atirador acabou detido e nada foi roubado. 

 

A Polícia Militar (PM) recebeu a denúncia que homens com armamento pesado estavam dentro do banco. "Fomos à agência munidos com escudos e coletes, pela informação do uso de armamento longo por parte de criminosos. Descemos da viatura e, quando nos aproximávamos da porta, um suspeito que estava no telhado viu a nossa aproximação e disparou duas rajadas, com o que parecia ser um fuzil, em nossa direção", relatou o tenente Anderson, da Força Tática do 43º Batalhão da PM. Quando procurava abrigo contra os disparos, o tenente disse ter ouvido barulho de mais de uma pessoa fugindo.

 

A PM chamou reforços e policiais da ROTA (Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar), da PM, do GARRA (Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos) e do GOE (Grupo de Operações Especiais), ambos da Polícia Civil, chegaram para prestar apoio. "Iniciamos buscas pelas residências vizinhas ao banco e pelo telhado das casas do entorno. Localizamos, atrás de uma caixa d'água, um homem que depois foi identificado pelo tenente Anderson como autor dos disparos", contou o Capitão Gentil Carvalho, da Rota.

 

Detido, o rapaz estava sem documento e se identificou como Tiago Cavalcante Cabral, de 22 anos, mas a polícia acredita que este possa não ser seu verdadeiro nome. Ele vestia um colete à prova de balas, mas a arma não foi encontrada. O detido disse à polícia que eram três os seus comparsas.

 

A porta de vidro do banco estava estilhaçada e havia um buraco no teto da área em que ficam os caixas eletrônicos, e dentro dele havia uma escada. Não havia explosivos no local. Vizinhos da agência disseram à polícia terem ouvido gritos de "sujou, sujou" e um carro arrancando em seguida, na Rua Padre Ludovico Zanol, perpendicular à Avenida Guapira. O caso foi encaminhado ao 73º Distrito Policial.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.