Hélvio Romero/Estadão
Hélvio Romero/Estadão

Bandeiras LGBT instaladas no Largo do Arouche serão permanentes

Decisão foi tomada pela Prefeitura de São Paulo após pedido de ativistas

Juliana Diógenes, O Estado de S. Paulo

26 Agosto 2016 | 18h56

SÃO PAULO - A Prefeitura de São Paulo vai tornar permanentes as bandeiras LGBT no Largo do Arouche, na região central da capital. A decisão foi tomada pela administração municipal após pedido de ativistas. Sete bandeiras foram instaladas em 28 de junho, no Dia do Orgulho LGBT, e vão continuar no local. 

A ideia, segundo a Secretaria Municipal de Direitos Humanos, é também instalar bandeiras em vias do entorno, como as Ruas Vieira de Carvalho e Aurora. A Rua Frei Caneca também é uma possibilidade, embora a Prefeitura não tenha consultado ainda os moradores da região. 

Também no Largo do Arouche, até o fim do ano, a Prefeitura quer instalar um posto permanente do Centro de Cidadania LGBT para divulgação e atendimento aos cidadãos. O local também deve passar por reforma no mobiliário e melhorias na limpeza. 

Uma petição online foi criada na Change.org pedindo a manutenção das bandeiras no Largo do Arouche. A iniciativa foi do jornalista Helcio Beuclair e o abaixo-assinado alcançou mais de 5 mil assinaturas.

Segundo o coordenador LGBT da Prefeitura, Alessandro Melchior, a decisão pela permanência das bandeiras faz parte da Meta 61 do Programa de Metas da administração, que prevê a requalificação do Largo. "Queremos tornar o Arouche como ocorre em grandes cidades do mundo, onde a comunidade LGBT se encontra em uma região por sentir uma identidade cultural ali", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.