Bandeirantes será ampliada até Jundiaí

Governo anuncia hoje pacote de obras na estrada e na Rodovia Anhanguera, que terá faixa extra em dois trechos no interior do Estado

BRUNO RIBEIRO, O Estado de S.Paulo

11 Março 2013 | 02h06

As rodovias entre as três regiões metropolitanas do Estado estão ganhando cada vez mais as características de "avenidas" de ligação entre a megalópole. Com tráfego intenso e uso nas viagens de casa para o trabalho, o que significa saturação nos horários de pico, a maioria delas passa por obras de ampliação. Hoje, o governo vai anunciar mais um pacote, com ampliações nas Rodovias Anhanguera e Bandeirantes, que se somam a obras em outras em andamento.

Na Bandeirantes, as obras vão começar em maio, segundo a Agência Reguladora dos Serviços Delegados de Transportes de São Paulo (Artesp). Será uma faixa adicional, em cada lado da via, no trecho entre Jundiaí e a capital (uma distância de 31 quilômetros). A expectativa é que a faixa extra tenha capacidade para aumentar em até 25% a capacidade da via, que hoje é usada por cerca de 126 mil veículos por dia.

Morador de Jundiaí que trabalha na capital, o economista Erik Carlos de Jesus, de 32 anos, diz ter sentido o esgotamento da Bandeirantes. "Há três anos, eu gastava meia hora a menos na viagem. Saia um pouco depois das 6h e chegava às 9h, com tempo de sobra. Agora, ou acordo mais cedo ou me atraso", conta. "O problema é na chegada à São Paulo, quando para tudo", diz.

A outra obra anunciada hoje é na Rodovia Anhanguera. Haverá construção de faixa extra em dois trechos: uma entre o km 71 e o km 76 em ambos os sentidos (entre Vinhedo e Louveira), e outra entre o km 120 e o km 128, na região da cidade Americana.

Serviços em andamento. A Rodovia Anhanguera já têm dois trechos em obras de ampliação, com entrega prevista para o mês que vem. Os trabalhos preveem o aumento de 50% na capacidade da via. A pista já teve entregue, em janeiro, uma nova faixa entre os kms 62 e 71, na pista sentido São Paulo.

A ampliação das rodovias com construção de mais faixas é uma decisão que foi tomada há dois anos e que foi viabilizada no ano passado por meio de parcerias entre o Estado e as concessionárias que operam as vias de ligação entre a capital e as principais cidades do interior. Há uma série de serviços em andamento.

Até o fim do semestre, serão entregues 39 quilômetros. São 16,8 quilômetros de faixas adicionais na Rodovia Anhanguera, 14 na Imigrantes , 7,6 na Ayrton Senna e um quilômetro no Trecho Oeste do Rodoanel Mário Covas, aberto em 2002.

Somando as obras que estão para ser entregues com o novo pacote, anunciado hoje, a espectativa é que cerca de meio milhão de pessoas seja beneficiado com as obras, segundo as contas da Artesp. São quase R$ 160 milhões em investimentos - dinheiro vindo das praças de pedágio.

"A conclusão das obras de ampliação nas rodovias que chegam a São Paulo vai melhorar a fluidez do tráfego e aumentar a segurança dos motoristas com a facilitação do deslocamento", diz a Artesp, em nota. "Também terá efeito positivo sobre a economia do Estado de São Paulo e do Brasil, já que serão beneficiados corredores importantes de acesso às regiões da Baixada Santista e do Interior", completa a agência reguladora.

O professor de engenharia de transportes da UPS Claudio Barbieri afirma que a construção e a ampliação de pistas para amenizar os congestionamentos precisam ser acompanhadas de outras medidas, como melhoria da rede de transportes coletivos. Cita o projeto do governo do Estado de reativar os trens regionais para diminuir a pressão sobre o sistema rodoviário.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.