Bandeirantes é a rodovia com maior aumento de mortes

Número de acidentes fatais subiu 47,5% em 2010 - de 40 para 59; concessionária culpa atropelamentos e maior uso por motociclistas

Renato Machado, O Estado de S.Paulo

26 Fevereiro 2011 | 00h00

A Rodovia dos Bandeirantes foi eleita no ano passado a melhor do País pela 5ª vez consecutiva. Mas as boas condições não foram suficientes para reduzir a quantidade de mortes em atropelamentos e acidentes com carros, caminhões e motos. A estrada foi a que apresentou maior aumento de mortos em 2010 entre as estaduais paulistas - 47,5%. E passou a ocupar a 7.ª posição no ranking das dez com mais acidentes fatais - número subiu de 40 para 59.

A concessionária Autoban - que administra o Sistema Anhanguera-Bandeirantes - aponta como motivos centrais o aumento de atropelamentos e, principalmente, de acidentes com motos.

"Aumentou bastante o número de motos na estrada, principalmente as de baixas cilindradas. Aí temos um problema: elas não desenvolvem bom ritmo, mas trafegam em uma rodovia cujo limite de velocidade (120 km/h) é maior, justamente pelas excelentes condições", diz o gestor de atendimento, Odair Tafarelo.  

 

Veja também:

link 1 em cada 5 mortos em estradas é atropelado

As mortes em acidentes com motos passaram de 6 para 16 (aumento de 166%). Mesmo não passando "dentro" das cidades - que contam com acessos específicos -, a Bandeirantes teve alta de 20% nos atropelamentos.

A Autoban afirma que o horário mais perigoso é entre 18 e 19 horas - quando os motoristas voltam para suas cidades. Os principais motivos são o cansaço e o "lusco-fusco" do fim do dia, que atrapalham motoristas.

Mas os registros de mortes surpreendem até motoristas. "Não podia imaginar, porque a estrada é segura. Não lembro de ter visto acidentes", diz o empresário Giuliano Dantas, de Jundiaí.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.