Prefeitura de São Paulo
Prefeitura de São Paulo

Banco Interamericano pode liberar financiamento de US$ 100 mi para SP até agosto

Recursos seriam usados na área da Saúde e seria a primeira parcela de um pacote total de US$ 300 milhões, no que representaria o primeiro projeto da cidade com o BID em 15 anos

Cláudia Trevisan, Correspondente

17 Maio 2017 | 23h18

 WASHINGTON - O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) poderá liberar até agosto financiamento de US$ 100 milhões para a cidade de São Paulo, que serão utilizados na área da saúde. O assunto foi discutido nesta quarta-feira, 17, em Washington em reunião entre o prefeito João Doria e o presidente da instituição multilateral, Luiz Alberto Moreno.

Os recursos seriam o primeira parcela de um pacote total de US$ 300 milhões, no que será o primeiro projeto do BID com o município em 15 anos, segundo Moreno. Doria disse que o financiamento será utilizado na conclusão das obras dos hospitais de Parelheiros e de Vila Nova Brasilândia e algumas Unidades Básicas de Saúde. 

No mesmo encontro, o governador Geraldo Alckmin discutiu uma série de projetos de sua gestão que contam com recursos do BID. Segundo Moreno, o Estado de São Paulo é o maior parceiro da instituição em toda a América Latina.

Nesta quarta-feira, 17, o Ministério da Fazenda deu autorização para o governo estadual contratar empréstimo de US$ 223 milhões junto à instituição para a conclusão do Rodoanel. “No ano que vem, termina”, disse Alckmin, sobre as obras. O representante do Brasil no BID, Antonio Henrique Silveira, disse que o sinal verde da Fazenda é necessário porque o governo federal fornece a garantia para o empréstimo.

Apesar da crise que o país atravessa, Moreno ressaltou que é “impressionante” o interesse de empresas “do mundo inteiro” em investir no Brasil. “Neste ano, o investimento estrangeiro é recorde no Brasil. Se as pessoas colocam dinheiro é porque têm confiança, estão olhando para o futuro”, afirmou o presidente do BID, antes da divulgação, pelo jornal “O Globo”, do conteúdo da delação premiada dos donos da JBS, que compromete o presidente Michel Temer.

Alckmin disse ainda que a instituição multilateral é importante para concessão de financiamento a empresas privadas que participam do programa de concessões estaduais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.