Balsa entre Santos e Guarujá tem menos 'furões' neste ano

Aumento de fiscalização e orientação motivou mudança de comportamento dos motoristas em férias

Rejane Lima, O Estado de S.Paulo

14 Janeiro 2010 | 14h58

 Selo-Verao

GUARUJÁ - A fila para a travessia por balsa entre Santos e Guarujá sempre foi "furada" por motoristas apressados, mas nesta temporada, segundo as administrações municipais e a Polícia Militar, o problema está controlado. De acordo com a diretora de Trânsito e Transportes do Guarujá, Cleusa Braga, até agora nenhuma multa foi aplicada em virtude da infração.

A diretora conta que apenas um ou dois "furões" são notificados por dia. "Isso nos dias de pico, mas nós orientamos e essas pessoas voltam para o fim da fila", conta Cleusa. "O nosso objetivo não é punir, é educar."

Mesmo assim, a punição está prevista no artigo 211 do Código de Trânsito, que classifica como infração grave "ultrapassar veículos em fila, parados em razão de sinal luminoso, cancela, bloqueio viário parcial ou qualquer outro obstáculo". A multa é de R$ 127,70 e o motorista recebe cinco pontos na carteira.

Segundo Cleusa, a ameaça da multa e a mudança de comportamento dos motoristas têm colaborado. "Sem dúvida, a população está mais educada. No verão passado, tivemos pelo menos dois boletins de ocorrência de agressões por causa de confusões na fila." O comandante da Polícia Militar no Guarujá, Edinaldo Cirino dos Santos, concorda que a situação melhorou. "Percebemos que os problemas diminuíram em relação à temporada passada."

Em Santos, segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), o conflito foi resolvido há cerca de três anos, quando os retornos da pista contrária à fila passaram a ser fechados com cavaletes em dias de movimento.

Mas nem toda sinalização é feita sem falhas. No começo de dezembro, uma reunião entre a Dersa, as prefeituras de Santos e do Guarujá e a PM definiu, entre outras medidas, que seriam colocadas faixas nas duas cidades alertando sobre a infração e a multa. No entanto, ontem, nenhuma dessas sinalizações foi encontrada pela reportagem. "As faixas devem ter caído com o vendaval desses dias", justificou Cleusa.

A impressão dos usuários consultados anteontem pelo Estado na pequena fila no lado do Guarujá é de que o número de pessoas furando a fila reduziu neste ano. "Acho que porque a sinalização melhorou, mas gente fiscalizando não tem", ressaltou o aposentado Jesuíno Bibian Filho, de 49 anos.

A assistente social Laura Veiga dos Santos, de 59 anos, que mora em Santos e há 10 anos trabalha no Guarujá, também observou a diminuição dos infratores. "Diminuiu, sim, mas não acabou. Há uns 20 dias, vi um motorista furando." Segundo ela, sempre que isso acontece os "furões" acabam saindo da fila por causa do buzinaço dos usuários e não por causa da fiscalização. "Nunca vi ninguém sendo multado."

Laura acredita que as placas informando que a fila da balsa está sendo monitorada têm intimidado as pessoas. No entanto, segundo a Dersa, a identificação dos "furões" é feita principalmente pelos fiscais; as câmeras servem para monitorar o tamanho da fila e o tempo previsto de espera.

Mais conteúdo sobre:
Verão 2010 balsa Santos Guarujá litoral praia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.