Balsa encalha por 4 horas em Ilhabela e passageiros protestam

Usuários ficaram parados no meio do mar, sem água nem comida; com subida da maré, FB-25 [br]desencalhou sozinha

Reginaldo Pupo, O Estado de S.Paulo

21 Fevereiro 2011 | 00h00

Uma das cinco balsas da travessia São Sebastião-Ilhabela, no litoral norte paulista, encalhou na noite de anteontem e causou protestos de usuários, que ficaram presos por quatro horas. Segundo a Dersa, que opera o serviço, um defeito mecânico no leme de direção teria provocado o encalhe. Ninguém ficou ferido.

Às 21h, a FB-25 - que tem capacidade para 100 veículos e levava 30 - desgovernou-se ao sair de Ilhabela e parou em um banco de areia. Um pequeno rebocador tentou rebocá-la, mas o cabo estourou e quase atingiu passageiros. Apavorados, motoristas começaram a buzinar. Só por volta de 1h, a Dersa mandou outra balsa resgatá-los. Após o desembarque, usuários protestaram contra o que consideraram "descaso" da Dersa. "Tem um monte de mulher e criança aqui e ficamos das 21h até a 1h da manhã sem água nem lanche", disse Raimundo Araújo.

Usuários mais exaltados tentaram formar um cordão humano, com ajuda de motos, para evitar que veículos de outras balsas desembarcassem. Um deles tentou impedir que funcionários amarrassem a balsa, mas foi contido por PMs. À 1h30, a FB-25 desencalhou sozinha com a subida da maré e foi "empurrada" por outra balsa, para carros, enfim, desembarcarem.

Valter Bárbara, da Dersa, disse que pediu socorro a rebocadores da Petrobrás e não foi atendido. A Capitania dos Portos vai apurar o acidente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.