BALCONISTA TRANCA LADRÃO EM LOJA

Assaltante esqueceu carteira de trabalho no local

CHICO SIQUEIRA, ESPECIAL PARA O ESTADO, ARAÇATUBA, O Estado de S.Paulo

05 Novembro 2011 | 03h07

O desempregado Rogério Alves Emídio, de 24 anos, certamente não vai esquecer tão cedo sua estreia no mundo do crime. Ele, que até segunda-feira não tinha passagem pela polícia e tinha acabado de perder o emprego em uma construção, tentou assaltar uma loja de aparelhos celulares em Votuporanga, a 537 km de São Paulo. Mas acabou trancado pela vítima dentro da loja ao voltar à cena do crime para recuperar a pasta com sua Carteira de Trabalho e documentos do acerto trabalhista do seu último emprego.

As câmeras internas da loja Fertec GSM Celulares, no centro da cidade, registraram as cenas, divulgadas ontem. Fingindo ter uma arma sob a camisa, Emídio entrou na loja, deixou a pasta no balcão e anunciou o assalto. Em seguida, pediu ao balconista Ailton Vítor Júnior, que estava sozinho, que ele abrisse a vitrine dos aparelhos. Com a recusa do balconista, ele mesmo quebrou a vitrine, pegou quatro celulares e fugiu correndo.

A pasta, esquecida no balcão, foi guardada por Vítor, que ligou para a polícia. Minutos depois, Emídio retornou à cena do crime para buscar a pasta, mas o balconista se recusou a pegar os documentos. Quando Emídio passou para o lado de dentro do balcão, Vítor saiu rapidamente e fechou a porta da loja, trancando Emídio no estabelecimento. Desesperado, ele ainda tentou sair pela janela, mas não conseguiu. Quando alguém finalmente abriu a porta e ele tentou fugir, deu de cara com PMs armados.

"Desconfiei que ele não estava armado, por isso me recusei a abrir a vitrine onde estavam os celulares e tomei coragem de sair e fechar a porta com ele dentro da loja", contou Vítor. Emídio teve prisão preventiva decretada ontem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.