Bala que atingiu Mércia não saiu de armas de ex-namorado, diz defesa

'Polícia está no samba de uma nota só: Mizael', critica advogado; laudo ainda não foi divulgado

Fabiana Marchezi, da Central de Notícias

01 de julho de 2010 | 12h49

SÃO PAULO - A bala que atingiu de raspão o queixo da advogada Mércia Nakashima não saiu das armas do ex-namorado dela Mizael Bispo. A informação foi repassada hoje pelo advogado de Bispo, Samir Haddad Júnior, com base em uma "análise preliminar."

O advogado ressaltou mais de uma vez que a análise é "preliminar", e disse não acreditar que um ex-policial pudesse errar um tiro. Ele também afirmou estar convicto de que os resultados dos laudos das roupas e dos sapatos recolhidos na casa de Bispo serão favoráveis à defesa.

Haddad Júnior criticou de novo a postura da polícia, de considerar apenas Bispo como suspeito. "A polícia está muito no samba de uma nota só: Mizael, Mizael, Mizael. Eu acho que deveriam investigar as outras pistas que já surgiram no caso."

A advogada, de 28 anos, foi encontrada morta no dia 11 de junho em uma represa de Nazaré Paulista, no interior de São Paulo, após ficar 19 dias desaparecida. Para a polícia, depois de ser atingida de raspão no queixo dentro de seu carro, que foi jogado na represa, ela tentou nadar e morreu afogada. O laudo com a causa da morte ainda não foi divulgado.

Tudo o que sabemos sobre:
caso Mércia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.