Bala perdida atravessa Paulista e fere gerente

Assaltante roubava R$ 4 mil de comerciante que saía de banco quando revólver dele disparou e acertou funcionário de loja do outro lado da via

WILLIAM CARDOSO, O Estado de S.Paulo

09 Novembro 2011 | 03h03

Uma bala perdida durante um assalto quase provoca uma tragédia em plena Avenida Paulista, no fim da manhã de ontem. A polícia ainda procura o responsável pelo disparo, que levou cerca de R$ 4 mil de uma comerciante chinesa e, acidentalmente, atingiu de raspão o gerente de uma loja do outro lado da via.

A chinesa Li Jy Yi, de 42 anos, deixava a agência do Itaú na altura do número 459, quando foi vítima do assalto. O criminoso tentou arrancar a bolsa da mulher, que reagiu. O bandido então deu uma coronhada na boca de Li. Foi quando disparou o revólver que carregava. Ele fugiu em seguida e, até as 20h de ontem, ainda não tinha sido capturado pela polícia.

Simultaneamente à coronhada na comerciante, o gerente de loja Christian Michael de Cesaro, de 36 anos, sentiu um ardor na cabeça e desabou no chão da loja de eletrônicos onde trabalha, do outro lado da avenida, na altura do 392. Até então, ninguém havia relacionado o disparo na frente do Itaú com a queda do rapaz.

"Demorou um certo tempo até todo mundo associar uma coisa com a outra. No começo, não estava claro o que tinha acontecido. O próprio pessoal do socorro ficou em dúvida se o Christian passou mal ou se tinha sido vítima do disparo do outro lado da rua", afirmou o também gerente Luís Claudio de Arruda Franco, de 41 anos, responsável pelo shopping.

Após alguns minutos, Christian recobrou a consciência e recebeu atendimento. "Depois que percebi que estava bem, brinquei com ele. Falei que, se ele jogar na Mega-Sena amanhã, vou perguntar quais são os números para apostar junto. Ele teve muita sorte", disse Franco.

Ferimentos. A comerciante chinesa, que trabalha no mesmo shopping do gerente, foi socorrida e levada para o Hospital das Clínicas. Segundo testemunhas, ela sofreu ferimentos na boca e perdeu alguns dentes por causa da coronhada desferida pelo bandido. Ela permanecia em observação até a noite de ontem.

Cesaro foi levado para o pronto-socorro do Hospital do Servidor Público Municipal, na Aclimação, e foi liberado por volta das 16 horas, sem sequelas por causa da bala perdida. Ele conta que chegou ao hospital em estado de choque. À noite, foi para a casa da mãe, onde ficou acompanhado dos irmãos, da mulher e dos três filhos, de 17, 15 e 4 anos.

Investigação. Até a noite de ontem, a Polícia Civil ainda procurava o assaltante. Serão requisitadas imagens do circuito de vigilância de lojas e da agência bancária para tentar identificá-lo. Investigadores também tentam localizar testemunhas.

O local do assalto é praticamente o mesmo onde três rapazes foram agredidos por um grupo de cinco jovens há quase um ano, em 14 de novembro de 2010. Na ocasião, imagens ajudaram a polícia a identificar e prender os agressores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.