Bala de canhão escorava porta de cozinha de casa

Uma bala de canhão não deflagrada servia havia mais de 15 anos como escora da porta da cozinha de uma casa de Campo Grande (MS) e para amassar latinhas. A casa, onde mora Jeruma Pereira dos Santos, de 40 anos, com duas filhas, fica perto da sede do Comando Militar do Oeste, onde podem ter ocorrido testes no passado. A descoberta foi feita no sábado pelo operário José Renato de Souza, de 23, que já tinha encontrado um primeiro projétil em uma escavação. O artefato foi recolhido pela PM e será detonado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.