NILTON FUKUDA/ESTADÃO
NILTON FUKUDA/ESTADÃO

Baixa umidade do ar põe São Paulo em estado de atenção

Taxa, de 29%, segundo Centro de Gerenciamento de Emergências, é bastante inferior aos 60% considerados adequados pela OMS

Luiz Fernando Toledo, O Estado de S. Paulo

04 de agosto de 2015 | 18h41

A baixa umidade relativa do ar fez a Defesa Civil colocar a cidade de São Paulo em estado de atenção nesta terça-feira, 4. De acordo com informações do Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE), a umidade estava em torno de 29% na última medição, feita às 14h30. A Organização Mundial de Saúde (OMS) considera índices inferiores a 60% inadequados para a saúde.

Segundo metereologistas da CGE, não há expectativa de chuvas. A tendência é de melhora nos próximos dias, com umidade do ar oscilando entre 35% e 85%.

De acordo com o centro, o tempo seco registrado nos últimos dias na capital é consequência de um bloqueio formado por um sistema de alta pressão atmosférica que atua em grande parte do País. A tendência é de que haja temperaturas mais baixas nas madrugadas e aumento ao longo do dia. A recomendação do órgão é ingerir bastante água e evitar a prática de exercícios físicos ao ar livre entre 11h e 16h.

A qualidade do ar na capital, medida pela Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb),  foi considerada boa somente em duas das estações nesta terça: Parque Dom Pedro II, na região central, e Itaquera, na zona leste. Outras duas estações registram qualidade ruim e as outras 12, moderada.

A  Cetesb alerta que pessoas com doenças respiratórias ou cardíacas, idosos e crianças podem apresentar ardor nos olhos, nariz e garanta, tosse seca e cansaço. O médico Paulo Saldiva, especialista nas consequências da poluição do ar para saúde, alerta para o risco de desidratação. "Crianças e idosos devem observar a cor da urina. Se ficar escuro, estão desidratadas. Pode-se perder muita água nesses períodos." Ele recomenda o uso caseiro de umidificadores ou bacias com água. "A poluição de ar é complicada, já que não existe uma estação de tratamento de ar. Ou se reduz a emissão de gases, no caso de São Paulo com a restrição do tráfego de veículos, ou esperamos que a natureza ajude. Então, temos de esperar e tomar as precauções", disse. 

Confira os níveis de umidade e as precauções que devem ser tomadas para cada um deles, segundo a CGE:

Estado de atenção (entre 21% e 30%)

Evite exercícios físicos ao ar livre entre 11h e 15h

Umidifique o ambiente com de vaporizadores, toalhas molhadas, recipientes com água, molhamento de jardins, etc.

Fique em locais protegidos do sol, em áreas vegetadas, etc

Consuma mais água 

Estado de Alerta  (entre 12% e 20%)

Observe as recomendações do estado de atenção

Evite exercícios físicos e trabalhos ao ar livre entre 10h e 16h

Evite aglomerações em ambientes fechados

Use soro fisiológico para olhos e narinas

Estado de Emergência (abaixo de 12%)

Interrompa qualquer atividade ao ar livre entre 10h e 16h, como aulas de educação física, coleta de lixo, entrega de correspondência, etc

Suspenda atividades que exijam aglomerações de pessoas em locais fechados como aulas, cinemas, etc ,entre 10h e 16h

Durante as tardes, mantenha com umidade os ambientes internos, principalmente quarto de crianças e em hospitais

Tudo o que sabemos sobre:
São Pauloumidade do ar

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.