Bairro sofre com falta de luz

AES ELETROPAULO - SANTO ANDRÉ

O Estado de S.Paulo

09 Janeiro 2013 | 02h05

A AES Eletropaulo continua prestando um péssimo serviço no bairro Campestre, em Santo André, com frequentes quedas de energia a qualquer hora do dia ou da noite. Isso quando, sem prévio aviso, a distribuidora vem executar alguma espécie de serviço na rede elétrica e nos deixa sem energia por horas. Na véspera de Natal, tivemos a ceia à luz de velas, visto que a energia foi cortada e voltou só no dia seguinte. Sem contar que o atendimento no 199 é extremamente burocrático e as atendentes fazem perguntas absurdas. Em 27/12 houve nova queda de energia às 14h15. Detalhe: não estava chovendo nem ventando. O transformador próximo, na Praça César Ladeira, explodiu, desarmando os três disjuntores. Frequentemente, o transformador em frente ao n.º 372 da Avenida Tietê também desarma. Está clara a falta de manutenção das linhas e, pior, está evidente que o dimensionamento das linhas é inadequado.

MIGUEL IZIDORO / SANTO ANDRÉ

A AES Eletropaulo diz que a queda do dia 27 foi causada por queima de equipamento e queda de galhos de árvore na rede elétrica. Informa que a região se caracteriza por densa arborização e a queda de galhos é a principal causa dos cortes de energia. Afirma que fez mais de 100 podas no local e está elaborando um novo plano de manutenção.

O leitor reclama: A origem do problema não está na "densa arborização", mas no dimensionamento insuficiente da rede para a demanda, que aumentou brutalmente nos últimos anos no bairro. Faltam investimento e equipes de manutenção para suprir as necessidades da população. E, ainda, competência.

AV. GIOVANNI GRONCHI

Falta a sinalização de solo

A Avenida Giovanni Gronchi foi recapeada em quase toda a sua extensão nos últimos dois meses. O serviço já foi concluído. No entanto, a Prefeitura demora em agir para recolocar a sinalização de solo de volta à via. São quilômetros sem faixas de divisão de pistas, tachões ou faixas de pedestres. Está um perigo trafegar por uma das mais importantes vias arteriais do Morumbi. É descaso ou desserviço?

LUÍS CLÁUDIO KAKAZU

/ SÃO PAULO

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) informa que já elaborou projeto prevendo a repintura de toda a sinalização horizontal da Av. Giovanni Gronchi, que contempla as faixas de balizamento e divisoras de fluxo, travessia de pedestres e canalizações. O projeto já foi incluído no cronograma de serviços de sinalização da CET.

O leitor comenta: Diante de um problema que anda tão sério, a CET poderia ter usado a oportunidade para informar de forma concreta a programação das datas para a instalação da sinalização de solo ao longo da Av. Giovanni Gronchi. Além disso, poderia ter aproveitado para pedir desculpas aos munícipes prejudicados pela omissão da empresa de engenharia de tráfego na cidade. Lamentável!

JARDIM PAULISTA

Árvore deve ser recuperada

Em 15/10/12 fiz uma solicitação de poda de árvore à Prefeitura pelo telefone 156. A árvore está localizada na Rua Sarita Cyrillo, n.º 50. Foi-me dado um protocolo e a promessa de que o atendimento seria feito em 40 dias, o que não ocorreu. Na madrugada do dia 17/12, um dos troncos da árvore caiu e ficou atravessado na rua - por pouco, não destruiu os carros que estavam estacionados próximos do local. Chamei a CET, que veio arrastar os galhos e troncos caídos, retirando-os do meio da rua. No dia seguinte, liguei para o 156 novamente, quando me foi dado outro protocolo e nova promessa de que a retirada dos galhos seria feita em uma semana. Como isso também não ocorreu, liguei de novo na Prefeitura e ouvi que o pedido de 18/12 havia sido cancelado. Ou seja, eu teria de fazer outra solicitação! Enquanto não é feita a vistoria da árvore, ficamos sob risco de nova queda de galhos e de algum acidente com motoristas e pedestres.

SEBASTIÃO ADILSON T. AUN

/ SÃO PAULO

A Subprefeitura Pinheiros informa que a árvore citada, uma quaresmeira, foi vistoriada em 2 de janeiro. Após análise visual, verificou-se que não procede a necessidade de remoção, somente uma poda leve. Os serviços serão executados em até 15 dias.

O leitor relata: Os galhos caídos foram removidos pela Prefeitura, mas o problema não foi resolvido, porque a árvore está tomada por cupim. A Prefeitura está propondo realizar uma poda leve, o que, na minha opinião, não vai resolver a questão de forma definitiva.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.