Bairro ainda tem 18 terrenos contaminados

As marcas do passado industrial da Mooca ainda estão em 18 terrenos interditados pela Cetesb. No total, essas áreas somam 300 mil metros quadrados, espaço suficiente para a construção de 24 torres residenciais com sobra ainda para um parque do tamanho do da Água Branca, localizado na zona oeste de São Paulo.

, O Estado de S.Paulo

19 de agosto de 2010 | 00h00

O maior vazio urbano do bairro tem 97 mil metros quadrados: foi base da Esso para o armazenamento de combustíveis entre 1947 e 2001. A área está em processo de descontaminação e deve abrigar o Parque da Mooca.

Entre as 31 subprefeituras de São Paulo, a da Mooca ocupa o 24º lugar em arborização: tem apenas 3,38 metros quadrados de área verde por habitante. Na Vila Mariana, por exemplo, o índice chega a 8,84 metros quadrados por habitante.

A Cosan Combustíveis e Lubrificantes S/A, atual dona do antigo terreno da Esso, está realizando um trabalho de descontaminação no subsolo. A empresa já tentou vendê-lo para incorporadoras, sem sucesso.

A Prefeitura mantém contato com representantes da Cosan para tentar obter a doação de parte do terreno e, dessa forma, construir o parque no local.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.