Avião é abatido e agente da PF acaba morto em operação no interior de SP

Aeronave carregada com drogas e armas foi interceptada em pista clandestina de canavial em Bocaina; bandidos em solo trocaram tiros com a polícia

Chico Siqueira, Especial para o Estado

26 Setembro 2013 | 12h41

ARAÇATUBA - Um avião foi abatido e um agente da Polícia Federal (PF) foi morto na noite dessa quarta-feira, 25, em uma operação cinematográfica de combate ao tráfico de drogas em Bocaina, no interior de São Paulo. Na ação, em um canavial às margens do quilômetro 136 da Rodovia Comandante João Ribeiro de Barros (SP-255), foram apreendidas armas e entorpecentes. O piloto e três bandidos foram presos.

Cerca de 20 agentes federais de Bauru e Araraquara aguardavam para apreender o avião dos traficantes. Vindo exterior, ele desceria em uma pista clandestina no meio do canavial, mas os bandidos que aguardavam a chegada do aparelho, , armados de fuzis, foram surpreendidos pelos policiais. Houve intensa troca de tiros.

Alertado pela movimentação em terra, o piloto, que se preparava para pousar, tentou arremeter a aeronave de pequeno porte, que foi abatida, caiu a 200 metros da pista e pegou fogo. As chamas atingiram o canavial. Segundo agentes, as informações eram de que o aparelho estaria carregado com mais de 500 quilos de drogas. O piloto, cuja identidade não foi divulgada pela PF, tentou fugir, mas acabou preso quando andava pela rodovia por volta da 1h30 desta quinta-feira, 26.

Os outros bandidos fugiram para o canavial e também foram presos ainda de madrugada. Na fuga, eles abandonaram um Gol branco, onde estavam armas, munições e coletes à prova de balas. Entre os armamentos havia um fuzil ponto 50, de uso exclusivo das Forças Armadas.

Durante a operação, o agente da PF Fábio Ricardo Paiva Luciano foi baleado no peito e morreu quando era socorrido para a Santa Casa de Jaú. De acordo com o delegado da PF de Bauru Ênio Bianospino, que participou da operação, o agente foi atingido quando estava na via de acesso à pista de pouso. Segundo Bianospino, o policial estava de frente para um veículo que se aproximou com seus ocupantes disparando. De acordo com a PF, Luciano trabalhava havia um ano em Bauru, era casado e completaria 39 anos nesta sexta-feira, 27.

Mais conteúdo sobre:
polícia federaloperação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.