Na avenida Paulista, manifestantes afirmam 'não ser escravos de 35 partidos'

Participantes pedem a continuação da denúncia contra o presidente Michel Temer e a possibilidade de candidatura de cidadãos não vinculados a partidos

Aline Bronzati e Sara Abdo, O Estado de S.Paulo

30 Julho 2017 | 12h22

SÃO PAULO -  Um ato contra a corrupção acontece neste domingo, 30, na Avenida Paulista. A manifestação, que começou por volta das 10 horas, foi organizada pelo movimento "Quero um Brasil ético" e é "contra todos os corruptos". "Fora Temer! Fora Lula! Fora Aécio!" "Eu quero um Brasil Ético, e você?" estão entre as chamadas do evento.

 Dentre os presentes, estão os juristas Modesto Carvalhosa e Hélio Bicudo, um dos autores do pedido de impeachment da ex-presidente Dilma Roussef. O movimento foi organizado por meio das redes sociais em apoio à Operação Lava Jato e a reforma política no País. É a segunda vez que os organizadores conduzem o ato à avenida Paulista.

Um dos participantes, que estava no carro de som, afirmou que os "220 milhões  de brasileiros não são escravos de 35 partidos". Ele pediu a saída do presidente Michel Temer e possibilidade de candidatura da sociedade civil, caso as próximas eleições sejam indiretas.

"Não somos inimigos dos partidos, mas temos o direito de nos candidatar. O sistema que ai está não nos permite isso", reclamou um dos cabeças do ato cívico deste domingo.

A Polícia Militar ainda não tem números oficiais da quantidade de manifestantes presentes. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.