Autor de crime planejado por estagiária é condenado em Santos

Defesa vai recorrer da sentença; crime aconteceu em 2005 e mandante foi condenada a 30 anos e 4 meses

Rejane Lima, de O Estado de S. Paulo,

24 de setembro de 2008 | 05h14

Após 12 horas de julgamento no Fórum de Santos, Aislan Dionísio do Nascimento, de 26 anos, foi condenado a 26 anos de reclusão por ter sido autor dos disparos que, em 2005, mataram a industriaria Mônica Tamer Cruz de Almeida, de 42 anos, e feriram Renata Borelli, de 26 anos. O crime ficou famoso na Baixada Santista por ter sido planejado pela ex-estagiária Carolina de Paula Farias, de 25 anos, condenada a 30 anos e 4 meses de reclusão em agosto do ano passado. A sentença foi proferida pelo juiz Helio Narvaez no início da madrugada desta quarta-feira, 23.   Ex-estagiária de Administração de Empresas da indústria Petrocoque, em Cubatão, Carolina cometeu os crimes porque pretendia ser contratada e ficar mais próxima do gerente Élcio Santana, com quem mantinha um relacionamento amoroso. Além de ter sido mandante do homicídio de Mônica e da tentativa de homicídio contra Renata, Carolina foi condenada por ter tentado matar, em setembro de 2005, Maria Aparecida de Campos, mulher de Santana e também funcionária da empresa.   O advogado da defesa, Ricardo Ponzetto, disse que recorrerá da sentença e pedirá a anulação do processo. "Não foi respeitado o princípio constitucional do contraditório que assegura aos acusados a oportunidade de combater as acusações". Segundo ele, houve ausência de provas e a condenação se baseou apenas nas delações dos outros participes dos crimes.   Além de Nascimento, outros dois cúmplices de Carolina já foram condenados: Rodolfo Queiroz dos Santos, de 27 anos, primo da ex-estagiária, recebeu uma pena de 16 anos de reclusão; e Ewerton Moura Andrade, de 22 anos, foi condenado a 17 anos e quatro meses. Também acusado de participação, Edson Siqueira dos Santos, de 27 anos, tem julgamento marcado para 21 de outubro.   (Com informações de Ricardo Valota, do estadao.com.br)   Texto alterado às 9h53 para acréscimo de informações.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.