Auto-escolas protestam contra greve da polícia no interior

A paralisação está atrapalhando o setor que prevê normalização dos serviços somente para janeiro

Brás Henrique, de O Estado de S. Paulo,

20 de outubro de 2008 | 16h39

Centenas de funcionários e instrutores de auto-escolas de Ribeirão Preto e região fizeram manifestações nesta segunda-feira, 20, na cidade, pedindo o fim da greve da Polícia Civil. A paralisação está atrapalhando o setor e acumulando serviços. Segundo o presidente da Associação dos Proprietários de Auto-escolas de Ribeirão Preto, Antônio Geraldo, pelo menos 3 mil pré-cadastros de Carteira Nacional de Habilitação (CNH) estão atrasados. Além disso, 3,5 mil alunos não podem fazer os exames teóricos e, na terceira etapa, 4 mil alunos não podem fazer os exames práticos. "Para resolver só os pré-cadastros precisaremos de 30 dias e para resolver tudo só em janeiro", calcula Geraldo. Veja também:'Teve policial atirando contra o Palácio dos Bandeirantes', conta o jornalista Marcelo Godoy  Galeria de fotos do conflito no Morumbi Policiais civis e militares entram em confronto em SP; assista 'PM tem obrigação de manter a ordem', diz José Serra Manifestação de Polícia Civil foi feita por "minoria", diz Marrey Paulo Pereira da Silva diz que José Serra não está aberto ao diálogo Antes da manifestação, Serra disse que 'não negocia com greve' Todas as notícias sobre a greve   O presidente da Associação informou que existem 72 auto-escolas em Ribeirão Preto, que empregam cerca de 1 mil pessoas. O grupo de pessoas, em carros e motos, passou pelo Poupatempo (do governo estadual), no Ministério Público Estadual (para pedir apoio do promotor da Cidadania, Sebastião Sérgio da Silveira), pela Ciretran local e também na Câmara (para que os vereadores peçam providências ao governo estadual). A greve da Polícia Civil já dura mais de um mês e Geraldo cita ainda que a Ciretran de Ribeirão Preto "está sucateada", sem investimento, há muito tempo.

Tudo o que sabemos sobre:
greve da políciapolícia civil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.