Aumento de fretados amplia risco de apagão aéreo

Aeronáutica autorizou 2.190 voos extras, 15% a mais do que em 2009; receio é de que faltem pilotos e comissários

Bruno Tavares, Nataly Costa, O Estado de S.Paulo

28 de novembro de 2010 | 00h00

O aumento da procura por voos fretados no período de férias preocupa o setor aéreo. Até a semana passada, a Aeronáutica havia autorizado a realização de 2.190 voos fretados para os meses de dezembro, janeiro e fevereiro - 15% a mais do que o registrado no verão de 2009/2010. Ninguém tem dúvidas de que as companhias dispõem de assentos para atender à demanda. O receio é de que falte tripulação para guarnecer esses voos.

Embora a quantidade de fretamentos pareça elevada, na prática as empresas costumam realizar cerca de 60% deles durante a alta temporada, o que corresponderia a uma média de 1,3 mil voos no período. Por economia de equipamento e de pessoal, a maioria acaba agrupando diversos destinos em um mesmo voo - os chamados "pinga-pinga".

Na avaliação de fontes do setor, as empresas têm capacidade para fazer até 1,4 mil voos fretados durante a alta temporada. Acima desse patamar, dizem, o risco de atrasos e cancelamentos é muito grande. "É difícil dizer exatamente qual a disponibilidade de pessoal das companhias, porque elas escondem isso da gente, mas sabemos que nenhuma delas tem condições de fazer muitos voos extras", afirma o comandante Gelson Dagmar Fochesato, presidente do Sindicato Nacional dos Aeronautas. "Pode ter certeza que muitos voos vão ter de ser cancelados por falta de pilotos e comissários."

O cenário de incertezas também preocupa o setor de turismo. "O mercado todo está preocupado", reconhece Eliseu Thomae, supervisor de Marketing da Visual Turismo e membro da Associação Brasileira das Operadoras de Turismo (Braztoa). "Mesmo na baixa temporada já trabalhamos com um aquecimento do setor acima da média."

Uma solução encontrada pelas operadoras é buscar aeroportos alternativos para fretados, como Viracopos, em Campinas, ou Confins, na Grande Belo Horizonte. "Guarulhos já está saturado, então estamos buscando o interior ou até outras cidades como ponto de partida até para os internacionais", diz. A CVC, maior operadora de turismo do País, deve lançar neste ano voos fretados com destino ao Nordeste partindo de São José do Rio Preto, Ribeirão Preto, São José dos Campos e Bauru, no interior paulista.

Para a alta temporada, a empresa prevê realizar 2.662 voos fretados nacionais e internacionais, que partirão de 20 cidades brasileiras de dezembro até o carnaval, em marco de 2011. Esse volume é 20% superior ao operado na temporada de verão anterior.Segundo a CVC, 60% dos assentos já foram vendidos.

Apagões. Neste ano, passageiros da Gol e da Webjet sofreram com atrasos e cancelamentos em série porque as tripulações dessas empresas haviam atingido o limite da jornada de trabalho prevista em lei - 85 horas no mês e 230 em um trimestre.

Na ocasião, a Gol alegou que uma falha no software responsável pelas escalas de pilotos e comissários fez com que eles atingissem o limite da jornada de trabalho. A Webjet disse ter enfrentado uma debandada de pessoal para suas concorrentes e ressaltou que os novos contratados ainda estavam em treinamento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.